Coronavírus e quarentena: Potiguar no meio do Canadá

Aperte nestes botões para aumentar a fonte:

(Diminuir/Resetar/Aumentar)


Todos já sabem que o Coronavírus é uma pandemia. Ou seja, uma epidemia que atinge vários países, inclusive no Brasil. Recentemente, o Rio Grande do Norte teve um caso confirmado da doença e os natalenses já estão fazendo quarentena voluntária. Alguns lugares transformaram home office em ambiente de trabalho, algumas instituições resolveram suspender as aulas, eventos cancelados e existe uma pressão de estudantes e da comunidade para que a Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN) suspenda as aulas. No Brasil, alguns governantes não estão levando muito a sério e o presidente da República com suspeita da doença cumprimentou admiradores que fizeram uma manifestação em sua homenagem no último domingo (15).  Mas, como está em outros países?

Já sabemos da super-força tarefa da Itália e na Europa, novo epicentro. Mas o Canadá também está com problemas com a Covid 19 e nesta segunda-feira (16) conta com quase 400 doente, o dobro do Brasil. Porém, eles já tomam algumas precauções, como fechamento da fronteira e quarentena voluntária. O jornalista e ilustrador Danilo Dantas, colaborador do Brechando, mora há algum tempo na cidade de Vancouver, onde já tem 9 casos confirmados e todos os pacientes são mantidos sob sigilo.  “Aqui a gente tá levando muito a sério, evitando memes e essas coisas. A preocupação é geral, evitando contato e grandes aglomerações e comprando o necessário para esses dias”.

Está impossível, no entanto, evitar o pânico na população, que estão estocando tudo com medo da proliferação da doença viral . Na foto acima, registrada por Danilo, mostra prateleiras do supermercado vazias e alguns habitantes estão tendo que ir nas cidades vizinhas para armazenar alimentos para ficar nesses 40 dias de reclusão. “Está faltando tudo: papel higiênico, frutas, maioria são importadas, álcool em gel acabou. Os legumes esgotaram. E as prateleiras estão vazias. Aqui em casa armazenei comidas não perecíveis e carne enlatada, coisas que ajudam para viver um tempo. Só saio para compras e olhe lá”, comentou o natalense, que teve acordar cedo para ser um dos primeiros clientes a chegar no mercado e garantir os alimentos necessários.

Ao ser questionado se conheceu algum dos nove pacientes confirmados na cidade, o ilustrador negou, mas escuta bastante relato na internet e de amigos.  “Tenho amigo que trabalha no Hospital e mostra que alguns estão com bastante dificuldade para respirar, como se fosse uma pneumonia mesmo, sendo que mais forte. Algo bem tenso, pois achava que isso só era coisa de filme”.

Algumas fotos dos supermercados esgotados do Canadá poderão ser conferidos a seguir:

E agora, o que fazer nesse período? Danilo já começou seu período de isolamento e foi liberado do seu trabalho, porém a cidade está reconhecendo os prejuízos, uma vez que é  conhecida por ter inúmeros estúdios para produções hollywoodianas e muitas de suas paisagems são usados de cenários para séries e filmes.  “Agora o estúdio que estou trabalhando liberou o HomeOffice e vou ter que trabalhar de casa com meus desenhos. Os filmes e produções que são todas gravadas na cidade estão paradas”.

Apesar do emprego está em xeque por conta dos problemas mencionados acima, a sua preocupação é com a companheira Isabella Rezende, que está retornando do Rio de Janeiro em meio ao caos e aeroportos sendo fechados no mundo todo. “Minha esposa está voltando do Rio de Janeiro e a preocupação dela é muita, pois vai pegar dois aeroportos nos Estados Unidos. Ela também vai ficar de quarentena, mas tememos, pois está espalhando muito rápido. A parte ruim é que não vamos poder muito ter contato com o objetivo de não se contaminar”.

Mais detalhes sobre o Coronavírus