Plutão Já Foi Planeta: Vendo a final do programa

Compartilhe:

Domingo frio e chuvoso em Natal, mas todos estavam ligados na televisão. Não, não era para votação do impeachment na Câmara Federal. Muitos natalenses, naquele momento, estavam querendo saber se a banda potiguar Plutão Já Foi Planeta iria ganhar a disputa do Superstar ou chegar perto. Numa cidade nordestina, onde o forró predomina, as redes sociais (Facebook, Twitter e Instagram) só falavam de uma coisa: vote em Plutão ou colocavam a hashtag #teamplutão. A trupe de jovens músicos, neste dia, era capa de jornal e tinha o apoio de diversos empresários potiguares, que estavam fazendo campanhas nas redes sociais e promovendo diversos eventos para que as pessoas votassem incansavelmente.  .

Leia Também:

Enquanto isso, o Ateliê Bar abriu as portas para aqueles que queriam assistir a final. O estabelecimento era onde a banda potiguar começou as suas primeiras apresentações na cidade. Acreditem, o bar estava lotado de gente e a torcida era grande.  Parecia final de Copa do Mundo. Então, nada como fazer uma reportagem sobre como estava o clima naquele bairro, no qual eles cantaram em diversas casas de shows da Rua Chile onde a acústica era de ruim para péssima e agora estão fazendo sucesso nas redes sociais, fazendo shows fora do Nordeste e sendo elogiados por diversas pessoas.

Além de Plutão, estavam na final Bellamore, Fulô de Mandacaru e Outroeu.

Torcida do Plutão aflita e ao mesmo tempo animada aqui na Ribeira

A post shared by Brechando (@_brechando_) on

O local estava aberto desde às 12 horas, mas só consegui sair de casa às 12h45, horário que o programa iria começar. Sabia que iria chegar atrasada, mas estava com medo de perder a apresentação e não conseguir registrar a animação do povo. Os grupos de Whatsapp que eu participava estavam narrando o que estava acontecendo e as notificações não paravam enquanto dirigia.

O pessoal do Zap-Zap me explicou que a final seria dividida em três fases: As cinco primeiras bandas se apresentariam e as três com as pontuações mais altas iriam fazer uma segunda apresentação, no qual as duas melhores iriam fazer o duelo final para saber quem iria vencer o certame.

Nesta disputa final, somente o público iria escolher e não teria ajuda dos jurados, lembrando que o programa é um “The Voice” de bandas.

Diferente de outros realities musicais, a votação é feita a partir de um aplicativo para celulares ou tablets.  Quando cheguei na Ribeira, eu vi muitos carros estacionados e consegui ficar do lado de uma kombi preta escrita “Jesus” no para-choque.  Assim que coloquei o pé para fora do carro, dava para escutar os gritos: “VAI PLUTÃO”. Uma galera nervosa na porta do Ateliê e com celulares nas mãos para votar no aplicativo.  Quando entrei, eu vi as pessoas olhando as duas televisões que foram instaladas.

image
Pessoal unido para ver Plutão (Fotos: Lara Paiva)

Também vi que o clima era de animação, muitas pessoas estavam com a camiseta da banda, cantando junto as músicas do grupo no intervalo do programa, bebendo uma cerveja ou fumando. Uma equipe da Globo estava lá para filmar todos os detalhes.  Era o início da apresentação da segunda fase, todos queriam, obviamente, que o Plutão fosse para o duelo final.

Assim que começou a apresentação do Plutão, as pessoas começaram a gritar e pegar os celulares. Quem não conseguisse ter acesso à internet, pareava com o 3G do amigo e todos votavam. Se a bateria estivesse acabando, haviam inúmeros carregadores portáteis para que nenhum voto fosse perdido.

Enfim, a banda começou a se apresentar. As pessoas estavam batendo palma, olhando a pontuação e votando ao mesmo tempo. Foram os três minutos mais dramáticos que acompanhei, parecia que estava vendo uma decisão dos pênaltis. Quando a banda chegou finalmente nos 60% das votações, as pessoas ficaram pulando e comemorando, pois sabia que havia grandes chances deles disputarem o duelo final.

Eu e Frank Aleixo, organizador do Houssaca (evento que aconteceria depois da final do programa), estávamos dividindo uma mesma internet e votando incansavelmente, morrendo de medo do aplicativo travasse. “Me empresta a sua internet pelo amor de Deus, não estou conseguindo usar o wi-fi do Ateliê”, dizia o Frank, que estava mais aflito do que quando foi ver o resultado do vestibular para Rádio e TV.

“Na próxima vez que uma banda que conheço se inscrever em um programa desse, vou pedir para que ele não me faça ter um troço em cada episódio. É muito nervosismo para uma pessoa só”, brincou Frank.

Frank Aleixo estava aflito
Frank Aleixo estava aflito

Uma pessoa próxima à mim mostrou o celular e disse: “Como o brasileiro vai deixar de não votar nessa carinha fofinha [apontando para a foto da vocalista Natália Noronha] ? Eles têm que ganhar.”. Um outro rapaz que estava do meu lado estava agoniado e mostrando a enquete da Rede Globo no Twitter: “Aqui tá dizendo que o Plutão vai ganhar. Bora, meu povo”.

Outros fechavam os olhos para não ver a pontuação ou ficava abraçando o amiguinho como um sinal de conforto emocional.  Mas, quando Fernanda Lima, finalmente anunciou que Plutão Já Foi Planeta e Fulô de Mandacaru iria para o duelo final, as pessoas enlouqueceram e pularam bastante comemorando pela banda ter chegado muito longe.

“Agora, vamos votar para que eles fiquem em primeiro lugar”, comentava uma pessoa dentro do Ateliê.  O banho de chuva que alguns tiveram não fizeram desanimar as pessoas, que queria a única coisa: Plutão Já Foi Planeta traga este troféu para o Rio Grande do Norte.

Todos sabiam que o concorrente era forte e vinha do estado de Pernambuco, conhecido por pessoas que valorizam o que é da terra e ter uma população muito maior do que o RN. Muitos estavam felizes pois a final foi dominada pelo Nordeste, região que não é muito valorizada e sempre é vítima da xenofobia de outros cantos do país.

Após uns dois blocos do programa de enrolação, finalmente Plutão iria se apresentar. Meu aplicativo travou, mas consegui votar, enquanto muitas pessoas reclamaram que não conseguiram votar por conta do bug. Muitos desconfiaram que isso seria treta para que a Fulô ganhasse. A apresentação acabou e eles ficaram nos 48%. Agora, era saber se a concorrente iria fazer mais pontos.

A cada elogio dos jurados do Superstar, as pessoas gritaram. Daniela Mercury disse: “Muito orgulho em saber que uma banda nordestina e com uma mulher estava na final”. Já o Paulo Ricardo também rasgou de elogios, dizendo que era a “banda mais completa da edição”.

Era a vez do Fulô se apresentar e muitos estavam nervosos, torcendo para que eles fizessem menos pontos. “Fique nesta pontuação” e “Pare por aí” eram as frases mais ditas pelo público. No final da apresentação, de repente, a pontuação de 48% subiu rapidamente para 70%. Muitas pessoas acusaram a votação de marmelada e fajuta. Os gritos de insatisfação podem ser vistos neste vídeo a seguir:

Plutão ficou em segundo lugar na batalha do Superstar. Mas eles são os vencedores dos potiguares

A post shared by Brechando (@_brechando_) on

Apesar do estresse no final, as pessoas estavam orgulhosas dos potiguares terem alcançado tão longe. Após a transmissão do programa, eles ficaram cantando as músicas do grupo e comemorando o bom resultado. O segundo lugar teve um gosto mais de vitória.

Veja repercussão nas redes sociais sobre a final do Superstar e a segunda colocação da banda: 

Plutão Já Foi Planeta ficou na segunda colocação do programa global, mas muita gente elogiou a atuação do grupo nas redes sociais e comentaram a importância de valorizar os artistas locais da capital do Rio Grande do Norte.  Portanto, a participação deles no programa foi bastante positiva.


Sobre Lara Paiva
Oi, eu sou o Goku. Mentira, meu nome é Lara. Sou jornalista formada pela UFRN, natural de Natal. Sempre fui de humanas. Tem um blog para expor as suas curiosidades e anseios desta vida e mostrar os diferentes lados da vida urbana.

Comentários no Facebook

Seja o primeiro a comentar

Deixe uma resposta

Breche Também

error: Content is protected !!