Georgia Quental: Miss RN que não é do RN

Aperte nestes botões para aumentar a fonte:

(Diminuir/Resetar/Aumentar)


O nosso estado tem uma bonita representante – Georgia Quental – ela nos dá uma impressão de vitória – tem domínio de passarela – rosto plasmado para camafeu e corpo modelo para um manequim francês.

Esta foi a definição da jornalista Kathia Suely durante o concurso de Miss Brasil, que aconteceu em 1962, no Maracanãozinho. A Georgia Quental representava o Rio Grande do Norte. Por muito tempo, as pessoas diziam que ela era uma das mais bonitas. Além disso, tinha um forte sucesso como modelo e já tinha experiência na área quando foi candidata. Mas, vocês sabiam que ela era do outro Rio Grande?

Atualização:

Recebi notícias de que ela já esteve no RN depois de ser Miss Brasil e já realizou peças no Teatro Alberto Maranhão. Por isso, a alteração do título.

Como ela conseguiu o Miss RN?

Seu nome completo é Georgia de Lucca Quental nasceu em Porto Alegre, capital do Rio Grande do Sul em 23 de abril de 1939. Entretanto, mudou-se ao Rio de Janeiro ainda bebê. Antes de ser Miss, ela já trabalhava como modelo após ver um anúncio no jornal, em 1957. A jovem se inscreveu, portanto, na seleção que pedia novas manequins, para ajudar a mãe com o orçamento.

Ela então recebeu o contrato da famosa Casa de Modas Canadá, uma loja elegante que vestia a elite carioca da época. Em 1960 ela tentou disputar o concurso de Miss Guanabara, representando o bairro do Flamengo, mas foi desclassificada por ser modelo profissional.

Neste período começou a sua carreira de atriz no teatro.

Como virou Miss RN

Georgia Quental na década de 60

Na época, o concurso de Miss RN tinha como organizador o Diário de Natal, em toda a década de 60. Georgia recebeu o convite para participar. O concurso veio a partir de uma seleção interna, uma vez que não houve uma competição oficial em 1962. Conseguiu vencer, conquistando a vaga no certame nacional, decepcionando as mulheres potiguares das famílias mais tradicionais do RN.

No entanto, ela não venceu, o primeiro título de uma Miss RN como a mais bonita no Brasil foi 17 anos depois com a vitória de Marta Jussara. No ano seguinte, 1963, voltou a disputa de Miss RN e venceu uma potiguar legítima.

Apesar do resultado, Georgia atingiu a sétima colocação, estimulando outras potiguares a participarem do concurso no ano seguinte, que, por conseguinte, conseguiu ter um evento oficial. Depois da competição, a mesma tornou-se atriz de cinema internacional.

Quando começou a sua carreira internacional de Georgia Quental

O famoso diretor mexicano Emílio “El Índio” Fernandez, ficou encantado com a beleza da moça, e a convidou para atuar em um papel de destaque em “O Maldito “(Paloma Herida, 1963). Emílio Fernandez, além de ator e diretor.

Após a bem sucedida empreitada no cinema mexicano, a modelo e agora atriz foi convidada por Nelson Pereira dos Santos para atuar no nacional Boca de Ouro (1963), recebendo boas críticas pelo seu papel. Ao mesmo tempo, conciliava com a carreira de apresentadora.  Era considerada a mulher com os olhos mais bonitos do cinema.

Georgia em cena de um dos filmes

Seu último trabalho na televisão foi uma participação especial na novela Araponga, em 1990. Como modelo, desfilou até os quarenta anos de idade.