O primeiro prefeito de Carnaubais? Avô de Paulo Barreto

Aperte nestes botões para aumentar a fonte:

(Diminuir/Resetar/Aumentar)


Perto de Assú, Mossoró e Macau está a cidade de Carnaubais, no qual no ano de 1963, conseguiu se desmembrar da primeira cidade após uma longa batalha, que contou com o apoio do deputado Olavo Lacerda Montenegro, que hoje é nome de rua em Parnamirim.

Entretanto, o primeiro morador da região foi Antônio Pereira de Albuquerque o primeiro habitante de uma localidade, onde se situava uma área com vista ampla, verde e bela, com muitas carnaubeiras ao redor e com boa terra para cultivar. Por isso, que a cidade recebe este nome.

Ali, surgiu as primeiras manifestações políticas da região, como Valdemar Campielo.

Campielo foi o primeiro prefeito de Carnaubais na década de 60 e 70, no qual ainda não tinha prefeito biônico.

Como foi a decisão de Carnaubais

Na sua primeira disputa municipal, Carnaubais contou com dois candidatos. O deputado Olavo Lacerda, político apoiador da emancipação da cidade, inicialmente indicou o seu irmão João Batista Lacerda Montenegro.

E pela oposição se candidatou a prefeito Valdemar Campielo Maresco, representante da classe sindical, pelo partido UDN (União Democrática Nacional), tendo como candidato a vice, João Benevides Sobrinho.

Valdemar e João Benevides foram empossados no dia 31 de Janeiro de 1965 e exerceram um mandato de cinco anos até o dia 31 de Janeiro de 1970.

Depois, eles conseguiram eleger o seu sucesso, João Texeira Filho, visto que por conta o AI nº 11, onde impôs um novo calendário eleitoral, encurtou o seu mandato. Assim, no ano de 1972 houve novas eleições.

Na eleição de 1972,  Valdemar Campielo venceu as eleições, disputando seu ex-vice prefeito, João Benevides Sobrinho.

Nesta segunda gestão, Campielo enfrentou uma terrível enchente. Como resultado, a Prefeitura teve que construir a cidade em outro lugar. Como consequência deste problema, a oposição venceu as eleições municipais em 1976.

Adivinha quem ele é parente

Saber quem Campielo é? Avô do Paulo Barreto, o mesmo candidato que a oposição fez o jingle lhe esculachando nas Eleições de Pendências, vizinha de Carnaubais. A música, por conseguinte, viralizou no Brasil inteiro e virou destaque na Folha de S. Paulo.

A canção é uma síntese de como as eleições no interior é um barraco digno do Programa do Ratinho. Portanto, uma briga da velha e nova política. É muito comum os políticos de cidades do interior sejam parentes de políticos de cidades vizinhas. Poderíamos fornecer vários exemplos, mas isso é assunto para outro post.

Além disso, o pai de Paulo Barreto, Berg, e sua mãe, a Marlice, também tentaram ser prefeitos na cidade de Carnaubais, todavia não obteve êxito.

Marlice é a filha de Campielo e além de Paulo, tiveram mais dois filhos.

Valdemar Campielo nas eleições de 1972, sendo candidato do partido Arena.

 

Posse do primeiro prefeito de Carnaubais

 

E Paulo Barreto?

Paulo Barreto é uma figura importante tanto para Pendências quanto Carnaubais, pois ele é dono de construtora e ainda mais da maior empresa de cultivo de camarão da região. Assim fazendo que ele fosse popular. Em 2012, um grupo de amigos o estimularam para ser prefeito de Pendências.

Além disso, ele se sentiu pronto apenas em 2020, quando se filiou ao Partido dos Trabalhadores (PT) e recebeu apoio dos vereadores Gilberto, Diego Dantas, Gustavo Queiroz e Van da Serraria. Por falar em Van, este rompeu com Paulo e realizou uma candidatura própria na prefeitura.

Barreto é a principal oposição de Flaudivan Martins (MDB), que venceu as eleições suplementares após o antigo prefeito ter sido afastado no Tribunal Regional Eleitoral (TRE).

Por causa do pleito, a irmã de Paulo Barreto, a advogada Marília de Góis Ramos, Procuradora do Município, entregou o cargo ao prefeito Flaudivan.