Você tem até 6 de setembro para ver este curta potiguar

Aperte nestes botões para aumentar a fonte:

(Diminuir/Resetar/Aumentar)


A Casa de Praia já lançou Dalton/Hebe, agora eles estão com o curta “Vai Melhorar”, premiado em duas categorias na 31ª edição do Festival Internacional de Curtas Metragens de São Paulo. O filme primeiramente recebeu a honraria de ser um dos 10 favoritos entre os filmes brasileiros pelo voto popular e também recebeu o Prêmio Aquisição Curta! / Porta Curtas.

O segundo prêmio além de oferecer a quantia de R$ 3.000 à produtora Casa da Praia Filmes. Também incluirá o filme na programação do Canal Curta!, do site Porta Curtas e do serviço de streaming TamanduáTV. Isto foi muito importante, uma vez que esta produção foi a única do RN a participar do festival.

Todos os premiados estão, por conseguinte, disponíveis no site do evento até o dia 06 de setembro. Ou seja, no próximo domingo, véspera de feriado da independência do Brasil.

Sobre o filme

O filme conta a história de Luísa, interpretada pela paranaense Cássia Damasceno. É uma jornalista paulista contratada para apresentar os programas televisivos da campanha de um candidato à prefeito buscando a reeleição numa capital nordestina.

Durante o filme acompanhamos, todavia, as relações profissionais e pessoais de Luísa. Entretanto, uma descoberta de bastidores obriga a jornalista a fazer uma séria decisão com consequências éticas e políticas.

Este não foi o primeiro prêmio

“Vai Melhorar” é um filme contemplado pelo edital público Cine Natal 2016. Além disso, teve seu financiamento através da Prefeitura de Natal, BRDE, FSA – Fundo Setorial do Audiovisual e ANCINE. O filme contou com o trabalho de mais de 80 profissionais durante seus quatro anos de produção. Em seu festival de estreia tem o privilégio de ser consagrado por público e júri, no qual finalmente o cinema potiguar teve a sua importância reconhecida no cenário nacional.

Sobre o Vai Melhorar

“Vai Melhorar” de autoria do Pedro Fiuza a partir de experiências em equipes de campanhas políticas. O diretor quis lançar um olhar aos profissionais que trabalham atrás das câmeras, uma vez que a intenção era dar voz àquelas e aqueles que enxergam os meandros do fazer político sob outros ângulos.

O filme também explora episódios de racismo e machismo muito presentes no mercado de trabalho brasileiro, já conhecido por ser um ambiente hostil à mulheres e minorias.

Sobre a Casa de Praia

A produtora audiovisual Casa da Praia Filmes foi fundada em 2011 por Fiuza e mais dois colegas de universidade graduados juntos em Rádio e TV pela UFRN.

O empreendimento, que em 2021 completará sua primeira década. Já acumula trabalhos relevantes dentro da proposta, destaca-se o longa-metragem “Fendas”, dirigido por Carlos Segundo, coprodução com as empresas Aun Filmes (SP), Les Valseurs (França) e O Sopro do Tempo (MG).

Além disso, também produziu o curta-metragem documental “Tingo Lingo”, dirigido por Wallace Santos, Melhor Fotografia no 2º Cine Verão e Menção Honrosa no 9º Sercine. Também tem a websérie de comédia “Dalton/Hebe” estrelada pela atriz Quitéria Kelly e Seleção Oficial do Rio WebFest 2018.

Como faz para ver o filme

Como falado anteriormente, a produção de 17 minutos está disponível para o público assistir. Mostra um pouco como funciona uma campanha política de forma nua e crua, além de exibir o machismo e o racismo. Sem contar da dificuldade de denunciar escândalos políticos.

Para assistir o filme completo é só clicar neste link.

Confira a seguir, portanto, o trailer completo da obra: