Um tio de Miguel Falabella morou em Natal

Aperte nestes botões para aumentar a fonte:

(Diminuir/Resetar/Aumentar)


Era o ano de 1956 quando a socialite potiguar fez a cidade de Natal parar com o objetivo de acompanhar o seu casamento com Flávio Sousa Aguiar, um médico carioca, no qual é o tio de Miguel Falabella e o ator e autor de novelas sempre comentava desta tia de coração e como ela inspirou nos mais diversos personagens.

O ator nasceu um mês depois deste casório, que aconteceu em setembro e foi destaque na coluna de Veríssimo de Melo.

Estou falando de Lucy Cabral, que era conhecida como a filha rebelde de Luiz Cúrcio Cabral e Dalila Cabral, comerciante conhecido nas terras potiguares e foi acusado de participar da Intentona Comunista, no qual foi inocentado depois.

Ele era um dos pioneiros do ramo imobiliário e por isso bastante requisitado na elite natalense. Toda a família era falada pelos colunistas.

O seu casamento com o tio do eterno Caco Antibes abalou a estrutura natalense, no qual a festa luxuosa foi destaque nos rádios potiguares.  O casório teve mais de 1000 convidados e claro que isso chamou a atenção da cidade que mal tinha 200 mil habitantes direito.

Lucy nasceu no dia 25 de abril e era uma figurinha carimbada nos noticiários da época, principalmente nas festas da elite natalense. Além disso, ela é conhecida por vestir de forma elegante.

Nota da coluna social

No Diário de Natal, o seu aniversário de 1953, onde comemorou na sua casa, na Rua Mossoró, chamou atenção da coluna social, no qual pode ser lida a seguir:

O aniversário da senhorinha Luci Cabral (sic) reúne na belíssima residência da rua Mossoró grande número das suas amigas. E com as suas amigas e colegas de estudo chegam à luxuosa casa de Luis Cúrcio Cabral e de sua esposa, dona Dalila Cabral distintas senhoras e ilustres amigos de um lar que é sempre encantador, pelo acolhimento, pelo estilo, pelo bom gosto, pelo conforto pela tranquilidade espiritual de seus donos. A noite é um sábado maravilhoso, neste pronuncio de tempo, que é sinal de redenção e felicidade.

Sem artifícios, porque a manifestação do seu modo de viver é sua habitual bondade, sempre cativante, herança de seus pais, a jovem aniversariante não se esquiva, entretanto à influência da reunião, na qual a elegância e todos os sorrisos são elogios ao grato acontecimento. Por isso, a senhorinha Luci está orgulhosa de sua festa. E sorrindo, se deixar prender cada vez mais num círculo de admirações e de reconhecimentos pelas suas gentilezas. E, ainda mais sedutora, com sua beleza, sua graça e sua inteligência, vaidosa do seu lindo vestido e de suas mãos, das suas joias e dos seus perfumes, Luci Cabral domina pelos dons de comunicabilidade que enriquecem o seu espírito.

Enquanto no grande terraço Luis Cabral e dona Dalila são vigilante entre os amigos para que, depois do magnífico jantar, se sirvam à vontade nas numerosas mesas, ao lado das flores de um jardim, que aos cuidados da dona da casa favorecem com um inverno prodigo em pleno sol de estio. Lá fora os automóveis esperam, com suas longas sobras e os seus faróis em silêncio, os felizes participantes de uma festa de aniversário, que Luci Cabral é a estrela com sua irradiante simpatia.

Como não achamos uma foto do casamento, apenas de uma foto manchada dela cortando o bolo de seu aniversário. Realmente, ela era uma mulher elegante.

tia potiguar de Miguel Falabella

Ainda era amiga dos jornalistas da cidade, como o colunista Hemetério Gurgel e Gil Braz.

Casamento de Lucy Cabral com o tio de Miguel Falabella

O casamento foi feito na Igreja Matriz de Nossa Senhora da Apresentação, antiga Catedral, que foi reformada pelo pai da noiva e o seu enxoval ficou exposto na vitrine da loja mais chique da capital, a Formosa Síria, conhecida pelos seus tecidos finos, hoje fica a loja Guilhermina na Av. Afonso Pena.

Morou no Rio por 10 anos e morava em uma grande casa no bairro de São Cristóvão. Mas retornaram para Natal.

O marido, Flávio de Souza Aguiar, foi diretor do Hospital Naval de Natal na década de 60.

Além disso, o bolo foi da Confeitaria Colombo, uma das mais tradicionais do Rio de Janeiro.

Anos depois a sua família virou tema de jornal, uma vez que a sua neta, Cláudia Manuela, também teve um casamento que chamou atenção da coluna social natalense e um dos destaques foi que ela usou o mesmo véu da avó.

E o tio de Miguel Falabella faleceu em 1987, conforme essas notas a seguir:

Miguel Falabella

Em 2011, Marcos Sá de Paula divulgou em sua coluna social o encontro do ator com as primas potiguares. Veja a seguir:

Miguel Falabella