Mulamba, Curitiba e o feminismo vivo

Aperte nestes botões para aumentar a fonte:

(Diminuir/Resetar/Aumentar)


No meio de um estado extremamente Bolsonarista, o Paraná também tem resistência. Exemplo disso é a banda Mulamba, formado por mulheres curitibanas desde 2015 e conta com influências de rock e música erudita para compor o seu repertório, ainda conta com letras poéticas.

A banda é formada por Amanda Pacífico (voz), Cacau de Sá (voz), Caro Pisco (bateria), Érica Silva (baixo, guitarra e violão), Fer Koppe (violoncelo) e Naíra Debértolis (guitarra, baixo e violão).

O sexteto conquistou visibilidade após a repercussão do vídeo de “P.U.T.A”, que por conseguinte ultrapassou a marca de quatro milhões de visualizações no Youtube.

Suas composições traduzem temáticas de cunho social e político, mas também falam de amor, família e amizade.

Mulamba lançou uma nova música de trabalho, que é a versão remix de “Espia Escuta” em parceria com a DJ e produtora Badsista, que há um tempo tocou em Natal, no espaço LCD.

A finalidade é destacar o funk, bastante presente no álbum de estreia de 2018.

A canção é composta por Cacau de Sá, uma das vocalistas, denuncia de forma pragmática as vulnerabilidades femininas.

O feat está disponível em todas as plataformas digitais

Clipe novo na área

“Espia Escuta” é dirigido por Leticia Futata, parceira de longa data da banda curitibana.

Gravado em Curitiba (PR), o clipe intencionalmente é cru e sem muita produção. Dirigido por Leticia Futata, do canal RROOMM, mostra as dançarinas Bety Damballah Jacu Cool, Flá Massali, Flavia Pereira e Majo Farias se expressando livremente por diferentes locais da cidade, uma vez que a intenção é representar o empoderamento feminino.

Veja o clipe, portanto, a seguir:

http://youtu.be/YeI-Vu0fCQU