Morre a Viúva de Ielmo Marinho

Aperte nestes botões para aumentar a fonte:

(Diminuir/Resetar/Aumentar)


Morreu nesta quinta-feira (11), a conhecida nos noticiários do Rio Grande do Norte como a Viúva de Ielmo Marinho, conhecida por ter matado todos os homens com que ela foi casado. De acordo com a página Ielmo Marinho em Foco, ela estava nas ruas do bairro do Alecrim em Natal após ter sofrido um infarto.

Maria Nazaré, nome da viúva de Ielmo Marinho, ficou conhecida nos anos 90 nas páginas policiais por causa dos seus crimes e recentemente virou meme por conta de sua entrevista para a Record.

Sobre a história de Maria Nazaré

O nome dela é Maria Nazaré Félix de Lima, mas todos lhe chamam de Viúva Negra de Ielmo Marinho, cidade da Grande Natal. Era acusada de ter matado os homens com quem envolveu. A sua história fez com que ela virasse uma figura histórica na cidade de 12 mil habitantes.

Apesar de ser protagonista de uma história polêmica, misteriosa e por muitas vezes contraditória e incoerente. Entretanto, a Viúva Negra possui um jeito cativante, delirante e simples, que nos fornece ao longo da conversa um enredo cheio de elementos para compor uma boa história – drama, mistério, conflito, emoção, romance, sexo e pornografia. Todos moradores o conheciam e chegavam a conversas. Alguns homens chegavam a paquerá-la, mesmo sabendo do passado.

Vinda de uma família de nove filhos, Nazaré vive em uma casa de taipa na zona rural da cidade e teve uma infância bastante conturbada. Na adolescência, ela trabalhou como empregada e foi abusada sexualmente pelos patrões. Nazaré alega que matou os maridos por beberem demais e lhe agredirem.

Viúva de Ielmo Marinho
Maria Nazaré, a viúva negra

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Os crimes de Nazaré

O primeiro marido, chamado Victor Maciel, lhe espancava quando estava bêbado. Cansada de apanhar, ela armou uma vingança. Quando o marido foi dormir, ela o matou a partir de golpes de machado e rapidamente se entregou para polícia. Isto aconteceu no ano de 1991 e Maria Nazaré vivia com o rapaz há cerca de seis anos quando ocorreu o crime.

Após passar 10 meses em uma delegacia e ser libertada, foi novamente presa por desrespeitar a condicional e ser levada a Penitenciária João Chaves, onde fugiu.

O segundo caso aconteceu na cidade pernambucana de Salgueiro, onde assassinou Luís Batista com um tiro de espingarda. Na época, Nazaré ficou enfurecida por Batista ter matado o próprio pai e traficar drogas. Além disso, ela disse que sentiu ameaçada após ter escutado que ele iria a matar e jogar seu corpo em um açude.

Em 1995, ela matou a pauladas o companheiro Luís Rodrigues, uma vez que ela alega que a vítima tinha estuprado a própria irmã. Então, Nazaré foi presa e libertada em 2000.  O fato chamou tanta atenção, que ela foi reportagem do Fantástico e do Programa do Ratinho na época. Até hoje, muitos jornalistas se interessam em contar sobre a sua estranha história.

Maria Nazaré em uma das reportagens
Maria Nazaré em uma das reportagens

 

 

 

 

 

 

 

Já escapou de um assassinato

Em 2007, dois irmãos tentaram a assassinar com golpes de faca. Eles a viram em um bar bebendo e resolveram tentar a matar. O motivo seria uma briga da viúva com a irmã deles. O golpe lhe atingiu na região do tórax e chegou a perfurar um dos pulmões. Ela ficou por muito tempo em estado de coma no Hospital Santa Catarina em Natal, mas sobreviveu.

Os irmãos Adenilson Costa e Ednaldo Barbosa de Lima estavam querendo se vingar de Maria Nazaré, visto que em 2002 ela esfaqueou a irmã deles após ter sido expulsa em um bar. Por isso, ela foi presa novamente.

O último crime

Em julho de 2015, ela cometeu o quinto homicídio. O rapaz era conhecido como Tico, seu nome de batismo era Francisco Garcia da Silva, e já tinha um relacionamento com Nazaré fazia algum tempo. De acordo com a polícia, a viúva negra o matou a pedradas e depois de ter matado o companheira, ela procurou a corporação para afirmar que o encontrou morto.

Nazaré acrescenta que o primeiro golpe foi dado quando Tico estava sentado na cama fumando um cigarro. Ela disse ainda que o namorado, após receber esta primeira paulada, já caiu inconsciente, “não sabendo explicar quantos golpes veio a desferir após o primeiro”. Os moradores, por sua vez, contam que desde manhã o casal discutia por causa de um possível roubo pela parte dela. Era a segunda vez, portanto, que estava tentando matar o seu último marido.

Documentário sobre a Viúva

Em 2014, um grupo de estudantes de rádio e tv da Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN) fizeram um documentário sobre a sua história.