Fernando Pessoa morou em Natal…da África do Sul

Compartilhe:

O poeta e escritor português Fernando Pessoa passou a maior parte de sua juventude em Natal. Mas, infelizmente não foi no Brasil. Existe uma região da África do Sul chamada de Natal e uma de suas maiores cidades é Durban, a mesma que Pessoa viveu no período de 1895 a 1905, antes de regressar definitivamente a Portugal.

Tudo começou em 1894, após perder o pai, a mãe de Fernando Pessoa se casa com cônsul português e se mudam para a região de Natal, mais precisamente na cidade de Durban.

Lá, ele estudou no Liceu de Durban e começou a criar poemas como Alexander Search, onde escreve os primeiros poemas em inglês.

Em 1901 parte com a família para Portugal, para um ano de férias para enterrar a sua irmã de dois anos.

Volta sozinho para África no vapor Herzog. Matricula-se na Durban Commercial School, escola comercial de ensino noturno, enquanto de dia estuda as disciplinas humanísticas para entrar na universidade. Nesse período, tenta escrever contos em inglês, alguns dos quais com o pseudônimo de David Merrick, que deixa inacabados.

Em 1903, candidata-se à Universidade do Cabo da Boa Esperança. Na prova de exame de admissão, não obtém boa classificação, mas tira a melhor nota entre os 899 candidatos no ensaio de estilo inglês. Recebe por isso o Queen Victoria Memorial Prize.

Um ano depois, ingressa novamente na Durban High School, onde frequenta o equivalente a um primeiro ano universitário. Aprofunda a sua cultura, lendo clássicos ingleses e latinos. Escreve poesia e prosa em inglês;

Após encerrar seus estudos na África do Sul com o Intermediate Examination in Arts, Fernando Pessoa voltou para Portugal.

Sobre Natal da África do Sul

100 anos de Natal, a capital do Rio Grande do Norte surgir, o navegador português Vasco da Gama, no dia 25 de dezembro de 1497, tinha visitado uma terra habitada pelos povos Zulu e que futuramente seria chamada de Natal, mais precisamente a Colônia de Natal.

Os Zulus de Natal tiveram, no entanto, diversas dificuldades para manter a sua essência.

Mais de 300 anos depois da vinda de Vasco da Gama, os boêres, descedentes holandeses naturais da África, entraram em uma guerra sangrenta contra os Zulu.

Assim, surgiu a República de Natália.

Em 1843, os britânicos anexaram Natal à Colônia do Cabo, o que levou ao êxodo dos bôeres. Formando, assim a Colônia de Natal. 50 anos depois se tornou um governo autônimo da Grã-Bretanha e 17 anos depois foi uma das províncias fundadoras da União Sul-Africana.

O diferencial da terra natalense é pelo fato de ser a única região do país que o idioma dominante não é o inglês, mas o Zulu.

As duas maiores cidades da região é Pietermaritzburg, a capital da província, e Durban.

Por sinal, Durban é a terceira maior cidade do país.

Em 1993, com o início do mandato de Nelson Mandela, Natal se juntou com a terra de KwaZulu.

Era um bantustão, antigo território reservado na África do Sul para os negros e foi uma das primeiras medidas para a implantação do apartheid.

A intenção de Mandela, com o fim do segregação racial, era que os povos negros não perdessem a sua identidade sul-africana.

Embora a região tenha o mesmo nome que a capital do Rio Grande do Norte, não existe, portanto, alguma relação internacional ou algum evento para celebrar essa coincidência.

Aqui no Brasil, existe uma cidade chamada Feliz Natal, no qual contamos essa história aqui.

Durban é a versão maior de Natal

Durban tem três vezes a população natalense brasileira, mas eles possuem um clima parecido e com praias paradisíacas. Você pode praticar muitos esportes aquáticos como surf, natação, bodyboard e vela.

Lá ainda tem Golden Mile que tem hotéis de luxo à beira-mar, tipo uma Via Costeira. Este passeio se estende desde a praia de uShaka até a praia de North Beach, com vista para o mar e muitas barracas de artesanato interessantes ao longo do caminho. Lembrou de que? Ponta Negra, é claro.