Você conhece a Mamute Sound ?

Compartilhe:

O Brechando adora relembrar algumas bandas da cidade e a gente fez diversas postagens e listas para falar de antigos grupos que nos fizeram ir para Ribeira para curtir os seus shows. Um deles foi a banda Mamute Sound, que vamos contar a sua história e em 2020 completa 10 anos esse ano que lançou o último álbum, hoje alguns membros ainda estão na música potiguar.

Vamos contar a sua história a seguir.

Nos idos dos anos 2000 o guitarrista e compositor Songy decidiu montar um novo grupo de rock autoral no famoso Cu do Elefante. Então, junto com Nillo e Danielle Epifânio (vocais), Wilton César (baixo) e Jukinha Lima (bateria),  Songy lançou a banda Mamute Sound.

Com a sua formação original lançou o primeiro álbum, que intitularam de “Disco 11”, que excursionou pelo estado, chamando atenção da imprensa especializada.

Na época, eles lançaram o clipe “Por Não Andar”, que tem um clima bem de fotolog, focando nos pés do ator principal, confira:

Segundo álbum e os 10 anos dele em 2020

No ano de 2010 foi cheio de mudanças no grupo. Primeiramente, a formação mudou totalmente, agora a banda era formada pelos irmãos Filipe Marcus no baixo (na época assinava apenas com Anjo) e Franco Mathson (bateria). Além disso, tinha os vocais de Nillo Fernandes, junto com o compositor Songy nas guitarras.

O disco começou a ser gravado em 2007 mas aos trancos e barrancos só teve seu lançamento oficial em 2010 em formato digital. Destaque para a animada porém forte “Linhas Tortas” e as faixas “Fuga Entorpecida” e “Multiverso”, parcerias de Vini D´ávilla e Songy. A canção “Útero” fecha o disco com ares de Radiohead na fase The Bends.

A banda deixou 04 álbuns de estúdio e 04 Eps, chegando ao fim em 2017 com um modesto legado de suas letras e canções pop rock. O álbum pode ser escutado a seguir: