Severina, a embaixatriz do Brasil e dona de Natal

Compartilhe:

A capital do Rio Grande do Norte tem várias histórias e personalidades. Quando falo em personalidades, essas não precisam ser exatamente grandes intelectuais ou ter feitos grandes feitos, mas podem ter participado na vida cotidiana e todos sabem quem ela é. Este foi o caso da Embaixatriz.

Quase ninguém a conhecia pelo nome de Severina, mas por Embaixatriz e olha que ela nunca casou com um Embaixador.

Severina vivia no Palácio do Potengi, hoje a Pinacoteca do Estado, porém na época era a sede do Governo do Estado. De acordo com os cronistas locais, você a achava facilmente na entrada, na escadaria de mandeira ou no andar superior.

Além disso, a Embaixatriz do Brasil circulava livremente nas dependências do Palácio. Do zelador ao Governador, todos falavam com aquela figura ilustre e ninguém nem ousava em tirar ela daquele espaço.

Dizia que tinha descendência de princesas da Áustria ou qualquer outro lugar tão remoto quanto majestático e sempre adorava a nobreza.

Cheia de influências políticas

A Embaixatriz dizia aos moradores de Natal que era bem relacionada com a política.

Falava que aquele governador só está no poder por ordem dela, que não permitia aquele prefeito assumir Natal, conversava com os políticos e qualquer um que passasse no Centro com um papo confuso e cômico ao mesmo tempo.

Dizia que era descedente direta da rainha Elizabeth, embora nunca tenha pisado no Reino Unido.

Mesmo com a sua loucura, ela foi a presença de alguns acontecimentos históricos do Rio Grande do Norte, como a posse de Aluízo Alves, a chegada do Monsenhor Walfredo Gurgel e também a queda de Djalma Maranhão no Golpe de 1964.

A faixa sempre do seu lado

A embaixatriz sempre andava muito bem vestida, mas não podia deixar de lado a sua faixa escrita: Embaixadora do Brasil, igual como está acima.

Ela também era a primeira a participar das cerimônias de beija-mão ao Governador, quando se formava uma fila de autoridades e candidatos a importantes, todos aguardando o momento de cumprimentar o governador e desejar feliz Natal e bom ano novo.

Se Severina não participasse de uma cerimônia do Governo, era porque algo de estranho aconteceu com ela.

No bloco Antigos Carnavais, no entanto, a homenageam todos anos com um boneco gigante, que desfilou pelas ruas do Centro de Natal, lugar que sempre frequentou. Veja a foto a seguir:

Seu fim e os poucos dados que temos dela

Bem, o seu fim ninguém sabe direito, sabe-se que faleceu em 2008 e terminou os seus últimos dias internada no asilo no bairro das Rocas, porém ele foi fechado pela Vigilância Sanitária.

O último registro foi no Diário de Justiça do RN, que solicitou a certidão de nascimento, no qual descobrimos alguns dados importantes. Seu nome completo é Severina Conceição de Jesus, nasceu em 20 de janeiro de 1924, na cidade de Pedro Velho, no agreste do Estado.

Ela é filha de Maria Francisca da Silva e de Manoel Francisco da Silva, além de que seu último documento era um CPF e a certidão de batismo.