Mais de 50 mil natalenses foram a favor do Diretas Já

Compartilhe:

Há quase 40 anos, os brasileiros não sabiam o que era votar para presidente e no final da Ditadura Militar surgiu a campanha do Diretas Já, que foi criada senador alagoano Teotônio Vilela no programa Canal Livre da Rede Bandeirantes. A primeira manifestação pública a favor de eleições diretas ocorreu no recém-emancipado município de Abreu e Lima, na Região Metropolitana do Recife em Pernambuco, no dia 31 de março de 1983.

Organizada por membros do Partido do Movimento Democrático Brasileiro (PMDB) no município, a manifestação foi noticiada pelos jornais do estado e rendeu 100 pessoas. Isso foi um fracasso? Não, outras cidades começaram a realizar a sua própria manifestação, como Goiânia, Teresina, São Paulo e Ponta Grossa, no interior do Paraná. Mas, o movimento eclodiu mesmo no ano que vem, em 1984, incluindo a participação de importantes políticos, intelectuais e artistas brasileiros. O movimento cresceu com crise econômica, quando houve a mobilização de entidades de classe e de sindicatos. A manifestação contou com representantes de diversas correntes políticas e de pensamento, unidas pelo desejo de eleições diretas para presidente da República.

Tanto que as manifestações chamaram atenção da imprensa. A maior manifestação foi em São Paulo que a investida democrata ganhou força com um evento realizado no Vale do Anhangabaú, no Centro da Capital, em pleno aniversário da cidade de São Paulo – dia 25 de janeiro. Mais de 1,5 milhão de pessoas se reuniram para declarar apoio ao Movimento das Diretas Já. O ato é liderado por Tancredo Neves, Franco Montoro, Orestes Quércia, Fernando Henrique Cardoso, Mário Covas, Luiz Inácio Lula da Silva e Pedro Simon, além de artistas e intelectuais engajados pela causa.

Mas houve Diretas Já em Natal ?

Sim, a manifestação aconteceu no dia 06 de abril de 1984, onde na capital potiguar, a manifestação aconteceu na Praça Gentil Ferreira, no Alecrim, onde teve a presença de Ulysses Guimarães e Tancredo Neves e Fafá de Belém, que ficou conhecida por cantar o hino nacional em todas as manifestações. Outros participantes da manifestação foi o ex-governador Aluízio Alves, o cantor Fagner, o ator Raul Cortez, a atriz Marieta Severo, o cantor Chico Buarque e políticos locais que eram a favor da aprovação da emenda Dante de Oliveira, que pedia o direito dos cidadãos brasileiros em votar para presidente da República. A Tribuna do Norte estampou a capa inteira falando sobre a manifestação. Veja a seguir:

Diretas Já em Natal

Fafá de Belém cantou para milhares de pessoas a música “Menestrel do Alagoas” na Diretas Já em Natal, a canção é uma homenagem ao Teotônio Vilela, que faleceu no ano anterior.

A mobilização começou a tarde a partir de uma passeata com concentração no Atheneu e os manifestantes carregavam as faixas com frases alusivas à campanha. O protesto foi considerado uma das maiores manifestações já realizadas na capital potiguar, que foi ultrapassado após a primeira Greve Geral de 2019. A Tribuna do Norte, de propiedade do Aluízo Alves, uma das vozes da manifestação da cidade estampou a manchete assim: “Recado foi dado no Alecrim: Natal quer Diretas”.

Apesar de inúmeros protestos, o congresso reprovou a emenda Dante de Oliveira e somente conseguiram eleger um presidente civil na última eleição indireta no ano de 1985, no qual Tancredo Neves venceu o Paulo Maluf, que era apoiado pelos militares e dando o fim aos 21 anos de chumbo. Após a vitória de Tancredo Neves, os natalenses comemoraram com uma grande festa com a BandaGália na rua e a imprensa estimou a participação de mais de 30 mil pessoas.

Foto acima do título: Tribuna do Norte.