Márcio Benjamin: Tem escritor potiguar nos Estados Unidos

Compartilhe:

O escritor potiguar Márcio Benjamin vai participar da 7ª edição da Primavera Literária Brasileira, criada na cidade francesa de Sorbonne, graças ao professor Leonardo Tonus e que nos últimos anos vem se espalhando pelo mundo. Mas, neste ano, vai acontecer nos Estados Unidos.

Entre fevereiro a junho, ela vai levar escritores brasileiros e de outras nacionalidades, mas sobretudo brasileiros, para encontros em universidades e escolas primárias e secundárias da França, Bélgica, Alemanha, Itália, Portugal e dos Estados Unidos. Eventos também serão organizados no Brasil.

O escritor potiguar vai para as terras americanas em abril. O primeiro passo será na Universidade de Columbia, em Nova York, no dia 1º de abril. Já entre os dias 02 e 03 de abril estará na Universidade de Brown, na cidade de Providence.

“Na oportunidade estarei falando sobre o terror nacional e lançando os livros ‘Agouro’ e em especial a versão em inglês do ‘Maldito Sertão'”, disse o escritor ao Brechando, que já está contando os dias para pisa na terra do Tio Sam e está com visto nas mãos.

O objetivo é fomentar a descoberta e a leitura da literatura brasileira. Haverá mesas-redondas, ateliês de escrita criativa, de contação de histórias e de ilustração.

A Printemps Littéraire Brésilien começa dia 17 de fevereiro, na Universidade de Indiana e terá como tema Brasil: (im)possíveis diálogos.

Além de Benjamin, participarão cerca de 70 nomes na lista, como o juiz João Marco Buch, idealizador de projeto de remição de pena pela leitura, Márcia Tiburi, Martha Batalha, Nathalia Borges Polesso e Wagner Schwartz. A literatura jovem é uma das apostas, explica Tonus – e entre os convidados estão Wallace Andrade, Maira Garcia e Daniela Kopsch.

A Primavera é independente e não conta com o apoio do Governo.

Sobre Márcio Benjamin

Márcio Benjamin Costa Ribeiro é um natalense, que trabalha como advogado, formado pela Universidade Federal do Rio Grande do Norte, e costuma apresentar-se como um escravo das letras. Desde os treze anos é metido com lápis e papéis, tentando mostrar aos outros um pouco do que se passa em sua cabeça. Participante usual de antologias de terror (Noctâmbulos, Caminhos do Medo, pela Editora Andross, Narrativas do medo 1 e 2, pelas editoras Autografia e Copa Books), também já fez muita gente rir com suas peças de teatro (Hippie-Drive, Flores de Plástico, Ultraje).

“Maldito Sertão” foi o seu primeiro livro, de contos. Lançado em 2012 pela Editora Jovens Escribas, foi considerado um dos melhores de 2012 e 2013 pelo Troféu Cultura Potiguar, foi quadrinizado pelo coletivo Quadro 9, e reza a lenda que conhecerá a tela grande do cinema. Em 2015 foi lançada a segunda edição com mais contos. Em 2016, lançou seu primeiro romance, “Fome”.

Em 2019, ele lançou o “Agouro”.