Legião Urbana em Natal

Compartilhe:

Uma lenda mais famosa entre o ciclo alternativo de Natal foi o show do Legião Urbana no Papódramo, onde boa parte da juventude da cidade nos anos 90 compareceu ao recinto, mais precisamente no Espaço de Natal (o Papódramo). Foi colocado até um outdoor na Via Costeira, mostrando que iria acontecer no feriado de sete de setembro e as vendas dos ingressos era na Loja Esporte Master. Infelizmente, não existe muitos registros desse dia. Veja a imagem a seguir:

 

Ver essa foto no Instagram

 

Tbt “Legião no Papódromo”

Uma publicação compartilhada por Alexandre Maia. (@agendapropaganda_) em

O escritor Carlos Fialho, em seu antigo blog, descreveu que foi um dos melhores shows da sua juventude na capital potiguar e como foi curtir um Rock and Roll no governo de Fernando Collor. Confira:

Por mais que muita gente hoje em dia torça o nariz, falar do rock brasileiro sem reconhecer a importância da Legião Urbana na formação de um público roqueiro e na aproximação de uma massa diversa ao universo dos acordes frenéticos das guitarras seria uma tentativa inegável de tapar o sol com uma peneira.

Num Brasil turbulento politicamente (era o governo Collor), Renato Russo e sua trupe vieram tocar em Natal no dia 7 de setembro. Paguei 25 dinheiros para ver o concerto no Espaço de Natal (sim, isso mesmo, o papódromo). A censura na época era de 14 anos e, como eu só tinha 13, tive que ir munido de autorização dos pais e acompanhado de amigos maiores de idade. Ambiente lotado e um show instigado com versões deliciosamente intermináveis. O concerto foi marcante também para o grupo, pois interrompeu a turnê do álbum “V”.

No livro “Renato Russo – o trovador solitário” (editora Ediouro), o jornalista Arthur Dapieve revela que após a apresentação, o vocalista ficou várias horas bebendo no bar do hotel, havendo ido dormir bem tarde. Quando acordou, soube que o resto da banda e toda a equipe saíra para dar um passeio de buggy pelo litoral potiguar e explodiu de raiva, quebrando todo o quarto de hotel. Segundo, Dapieve, Renato costumava confundir horas de lazer com falta de responsabilidade, uma vez que era, ele próprio, um incorrigível e perfeccionista viciado em trabalho (e em outras coisas também).

Esse show entra na lista por dois motivos. Faz parte da história do Rock nacional e a LB foi a primeira banda que gostei, abrindo caminho para muitos outros grupos roqueiros que sigo descobrindo e curtindo até hoje.

Sem contar que o show foi marcado por pane na parte elétrica do show, Renato irritado e confusão entre participantes da plateia com seguranças. Mesmo assim, está na lista de coisas marcantes pelos natalenses.

A apresentação aconteceu no ano de 1992, quatro anos depois Renato faleceu após complicações com a AIDS. Além disso, o ano seguinte após o show nas terras potiguares houve o lançamento do disco “O Descobrimento do Brasil”, o sexto álbum de estúdio da banda brasileira de rock Legião Urbana, lançado em 1993 pela gravadora EMI-Odeon e o último lançado com Renato em vida.