Guararapes e as empresas com nomes de guerra

Compartilhe:

O Grupo Guararapes Confecções é um grupo empresarial brasileiro, mais precisamente do Rio Grande do Norte, e é considerado o maior da América Latina no ramo têxtil e de confecção de roupas. Tudo começou em 1947, quando Nevaldo Rocha cria a loja de roupas A Capital em Natal. Oito anos depois, ele funda a fábrica Guararapes no Recife e depois a transfere para a capital do RN. Em 1979, o grupo comprou a rede Lojas Riachuelo, assim, expandindo-se para o mercado do comércio e varejo.

E no ano de 2005, em Natal, eles criam o shopping Midway, o maior da cidade. Mas, o que Guararapes, Midway e Riachuelo têm em comum? Todos os nomes foram baseadas em três guerras que vamos explicar a seguir:

Guararapes

Morro do Guararapes, onde aconteceu a briga entre Portugal x Holanda

Foi a batalha que expulsou os holandeses no Brasil, que na época era uma colônia portuguesa. Por causa da cana de açúcar, a Holanda invadiu o Nordeste brasileiro, principalmente Pernambuco, onde eles desenvolveram bastante na região. Eles também pisaram no Rio Grande do Norte, onde surgiu os Mártires de Uruaçu e Cunhaú.

A Batalha de Guararapes foi uma batalha travada em dois confrontos — primeiro em 18 e 19 de abril de 1648 e depois em 19 de fevereiro de 1649 — entre o Exército da Holanda e os defensores do Império Português no Morro dos Guararapes na então Capitania de Pernambuco.

A dupla vitória portuguesa nos montes Guararapes é considerada o episódio decisivo da Insurreição Pernambucana, que pôs fim às invasões holandesas no Brasil e ao chamado “Brasil Holandês” no século XVII. A assinatura da capitulação neerlandesa deu-se em 1654, no Recife, de onde partiram os últimos navios batavos em direção à Europa.

A data do primeiro confronto, 19 de abril de 1648, no qual a tropa portuguesa era formada majoritariamente por brasileiros (brancos, negros e ameríndios) com o objetivo comum de expulsar o invasor estrangeiro, é considerada o início da construção da nacionalidade brasileira, e foi adotada oficialmente como o dia do surgimento do Exército Brasileiro.

Riachuelo

Batalha do Riachuelo travou-se a 11 de junho de 1865 às margens do arroio Riachuelo, um afluente do rio Paraná, na província de Corrientes, na Argentina. Essa é considerada pelos historiadores militares como uma das mais importantes batalhas da Guerra do Paraguai (1864-1870), que deixou o Exército Brasileiro poderoso e ajudou a influenciar no fim do Império Brasileiro, dando início a República.

Em jogo estava o poder sobre o rio, que era o acesso do Paraguai ao mar. Foi uma luta de quatro horas, que encheu o rio de fumaça, sangue, barulho de canhões, tiros e gritos. Os primeiros navios que debandaram foram os paraguaios. A saída fluvial para o mundo estava perdida. Após o embate no rio, havia tanta fumaça vinda dos canhões e da chaminé dos barcos que mal se viam os navios em guerra. Cortando o nevoeiro negro, duas fragatas brasileiras, atingidas pelos canhões paraguaios, rumaram para os bancos de areia na tentativa desesperada de encalhar para não afundar.

Outro barco teve o leme despedaçado e abrigou uma luta de espadas, baionetas e fuzis que deixariam mais de 200 mortos. Por toda aquela curva do rio Paraná, em frente à foz do riacho de Riachuelo, ainda ouviam-se explosões, berros e sobretudo o zumbido dos quase 6 mil fuzis em ação.

A Batalha de Ricahuelo fora planejada pelos paraguaios como um ataque de surpresa. Porém, o plano não deu certo, uma vez que os  brasileiros avistaram as embarcações paraguaias se aproximando.

Midway

Batalha de Midway aconteceu durante a Segunda Guerra Mundial. Foi uma batalha aeronaval travada em junho de 1942 no Oceano Pacífico entre as forças dos Estados Unidos e Japão, seis meses depois do ataque japonês a Pearl Harbor, que marcou o início da Guerra do Pacífico e a entrada dos EUA ao combate Aliados x Eixo. O resultado da batalha foi uma decisiva e crucial vitória para os norte-americanos, lembrada como o mais importante confronto naval da Segunda Guerra, marcando o ponto de virada no conflito e causando aos japoneses a perda de quatro porta-aviões e dois cruzadores de sua frota, além de duzentos pilotos navais, na frustrada tentativa de invadir e ocupar o atol de Midway.

Gostou dessa curiosidade?