Tripla Exposição: Sai Zapiski e entra Raul Pacheco

Compartilhe:

No próximo fim de semana haverá o TriplaExposição, um evento de dois dias e em dois lugares diferentes. Como assim? Ocorrerá neste próximo sábado (14) e domingo (15), sendo o primeiro no Seburubu e o seguinte no Mahalila.  Recebe este nome porque terá três partes, sendo uma delas a exposição Mutações – restrospectiva da obra de José Zapiski.  Ainda haverá um Laboratório de escrita e o lançamento de três zines. Além disso, apresentações musicais de Julia Schenkel e Dave Rommel completarão cada uma das noites. Para custear a produção, haverá venda de posters, zines e adesivos, encerrando a carreira do José Zapiski, pseudônimo de Raul Pacheco como escritor.

“Sinto que o Zapiski me ajudou a superar o medo de publicar. Porém, é uma produção esgambelada, de uma fase da minha vida que não está mais rolando. E não foi somente a minha vida que mudou. O mundo inteiro parece que deu um pinote. Novas dificuldades, novas responsabilidades. A ideia do Zapiski estava uma coisa enganchada, como se eu tivesse uma corrente dentro de mim. De toda forma é um período que faz parte da minha trajetória. Tem partes que admiro, outras que desprezo e o que curto mais é perceber o contraste (daí o nome Mutações). Com o Linguagem vol. 3 , percebo que um outro momento se abre pra que eu consiga nutrir o tesão de escrever”, afirmou o jovem escritor.

A ideia da exposição é fazer uma retrospectiva de seu trabalho, que além de escrever inclui a confecção manual dos zines.

Mas, o que terá na TriplaExposição? Raul responde:

“A ideia é que seja algo entre o caos do início e o processo de polimento a que passei depois. Planejo um ambiente com excesso de informação, quase um labirinto de textos. Valorizo o que faço também como trabalho braçal. Produzo bastante à mão, com caneta e papel. Acho legal exercitar essa conexão enquanto crio, apesar de evitar também entrar numas de antiprogresso. Minha vontade é combinar esse lado mais bruto e ainda assim conseguir um resultado elaborado”, disse.

A exposição também terá trabalhos de Gabriel Dantas (@bifedeunicornio), quadrinista, e de Sarah Figueiredo (@asarahfigueiredo). O Tripla também terá um laboratório experimental de escrita (no comecinho da tarde e para participar é só mandar um e-mail para josezapiski@gmail.com) e duas apresentações musicais, uma em cada dia, completando o evento. No sábado Julia Schenkel, que tocou piano com Bex. E no domingo Dave Rommel, que lançou um EP ano passado pela Nightbird Records.

De acordo com Raul, a escolha do lugar foi mais pelo afeto. O mesmo disse que frequenta o Mahalila frequenta há muito tempo e adora a ligação do local pela literatura e música. Além disso, foi lá que “começou a distribuir os zines, da maneira mais canhestra do mundo”. “O Seburubu foi um lugar que vi nascer e que estou vendo crescer. Se essa exposição servir pra dar uma força pra eles eu acho fantástico. Mas quem está sendo ajudado por eles sou eu. Acredito muito no poder desses lugares, de você chegar e encontrar gente massa, trocar ideia, se sentir a vontade”, comentou.

E após a aposentadoria de Zapiski, o que fazer? Se aposentar? Raul aponta várias ideias que quer navegar: “Gosto de fazer coisas e sempre acho que faço menos do que eu poderia. Tenho ideia pra revista, zine de skate, fotografia. Também quero fazer romance, conto…Enfim, bastante coisa, mas o foco é escrever. Seja ficção, seja outras coisas”, disse Pacheco, que ainda pretende escrever algo mais longo sobre Natal.