Expulso do Beco da Lama, Sabadaço arranjou um novo lugar

Aperte nestes botões para aumentar a fonte:

(Diminuir/Resetar/Aumentar)


O Beco da Lama está sendo um amplo reduto de cultura em Natal. O famoso beco da Cidade Alta tem samba, rock, forró e música eletrônica. Esta última foi alvo de polêmicas, visto que vizinhos haviam denunciado as festas que eram realizadas nas quintas e nos sábados (uma vez por mês, chamada de Sabadaço) no Bar da Meladinha por poluição sonora. Além disso, as festas não foram contempladas no edital da Prefeitura do Natal que promete ajudar financeiramente algumas festas. A disputa entre a Secretaria Municipal de Meio Ambiente e Urbanismo (Semurb) e as clubbers fizeram abrir um debate sobre a liberdade de expressão e questionar o quanto querem realmente revitalizar a rua Vaz Gondim.

Ao mesmo tempo que os espaços alternativos estão brigando por uma festa, a Ribeira, bairro conhecido pela sua boêmia, encontra completamente abandonado pelo poder público e uma das crises mais severas desde a sua tentativa do plano de revitalização. No início do ano, o Centro Cultural Dosol fechou as portas para poder administrar o El Rock em Candelária, o Armazém Hall está se transformando em uma igreja evangélica, o tradicional bar do Reggae também está fechado  e a intenção é que os casarões fechem um por um.

Mas, no meio da crise toda, existe uma esperança que a Ribeira volte a brilhar novamente. Recentemente, o Diconexa está administrando o casarão onde funcionava o Dosol e transformou no LCD, sigla para Laboratório Cultural Disconexa, que está promovendo várias festas voltadas para música eletrônica e atualmente está resgatando os órfãos das festas do Beco da Lama que estavam perdidos e abandonados pelas ruas de Natal.

Para quem não sabe, o Diconexa foi criado em 2017 e um coletivo de vários artistas da música eletrônica local. Há três semanas eles abriram o LCD e promete que vai durar. No último sábado (31), o Brechando esteve presente na Festa Teste, que era realmente uma prova para saber se os clubbers iriam aprovar o novo local, que já foi reduto de muito rock e rodas de pogas por quase duas décadas. Realmente, a Ribeira tem o poder de deixar tudo alternativo e fazer com que você se sinta em casa.

A casa estava decorada com luzes vermelhas e o som alto e com uma acústica boa, além das músicas estavam gostosinhas de escutar e dançar. A foto acima do título foi registrada durante o evento, que promete vai ter mais festas voltadas para essa área, além de festivais alternativos.

Uma outra boa notícia é o Sabadaço, as festas de sábado do Beco da Lama, vão acontecer por lá agora, na Ribeira. As informações foram dadas por Pajux Frank, o organizador da festa, no qual através do Twitter explicou o que vai acontecer com as festas na quinta e do sábado que eram promovidas por eles. “Agora temos um espaço que aumenta nossas possibilidades sonoras, e onde podemos garantir a promoção desses encontros lindos que sempre tivemos. E é isso o que importa.”, disse em um dos tweets.

Apesar da mudança de casa, ele disse que as festas do Beco da Lama só acontece agora na quinta e no volume um pouco mais baixo. Confira a thread de Tweets a seguir: