Cultura Racional existe e está na calçada do Parque das Dunas

Compartilhe:

Recentemente, andando pelo Parque das Dunas, enquanto cobria o protesto contra as Queimadas na Amazônia,a gente arranjou um estande com vários painéis diferentes e quando olhamos mais de perto, a gente viu que era uma forma de mostrar a Cultura Racional, aquela que ficou famosa por Tim Maia, na década de 70, cujos discos Tim Maia Nacional Vol. 1 e Vol. 2 são bastante procurados por amantes do vinil por sua raridades.

A Cultura Racional surgiu no dia 04 de outubro de 1935 em um Centro Espírita de nome “Tenda Espírita Francisco de Assis”, no Rio de Janeiro, Foi nesta data em que Manoel Jacintho Coelho afirma ter começado a receber as mensagens para a elaboração da escrituração de Cultura Racional chamada de Universo em Desencanto, livro bastante citado pelo famoso cantor de soul music em 1998.

Manoel narra em seu livro, a Cultura Racional teria surgido através de uma “determinação superior”, vinda de uma Entidade que habita um plano superior ao mundo material e espiritual, entidade essa denominada como: Racional Superior, habitante do Mundo Racional. O contato do médium com tal entidade é explicado como sendo o resultado de uma evolução natural do campo espiritual ou astral, ou seja o desenvolvimento deste campo permitiu alcançar graus cada vez mais elevados de energia, que possibilitou o contato do médium com planos astrais superiores aos que já se tinha conhecimento. E desse contato teria vindo a comunicação para elaboração dos livros de Cultura Racional.

Antes de começar a transmitir as mensagens que dariam origem aos livros, Manoel teria recebido uma ordem para fechar a Tenda Espírita, pois o Espiritismo já havia cumprido a sua missão na Terra, e que a partir daí estava para surgir uma nova cultura no mundo, e nessa nova cultura não haveria necessidade de existir templos, nem igrejas, mesquitas, terreiros ou qualquer espécie de casas espirituais. Assim, Manoel fechou sua Tenda, encerrou suas atividades como espírita, dando início a Cultura Racional.

No Parque das Dunas, os admiradores da cultura racional estavam vendendo o livro “Universo em Desencanto”, onde falava que a explicação dos males da humanidade está neste livro.  Segundo o livro, trata-se de um conhecimento de retorno da humanidade ao seu “verdadeiro mundo de origem”, o Mundo Racional, por meio de uma energia denominada de Energia Racional, que faria a ligação do ser humano ao Mundo Racional. Ou seja, muita viagem para sua cabeça.

Além disso, a cultura racional aborda uma grande variedade de temas que vão desde cosmologia, metafísica, ecologia, linguística e teologia até assuntos como óvnis e discos-voadores.  E a gente achava que era só uma inspiração de Maia, não é mesmo ?

Em 1974, o cantor entrou em contato com a doutrina Cultura Racional, liderada por Manuel Jacinto Coelho, se converteu e escreveu letras inspirados na seita. A gravadora onde trabalhara se recusou a lançar o disco, levando Maia a comprar as fitas com as gravações e lançar em 1975 pelo selo próprio Seroma os dois discos do Tim Maia Racional. São considerados por muitos os melhores de Tim Maia, com grandes influências do funk e do soul e pelo fato de que, nesta época, Tim Maia manteve-se afastado dos vícios, o que refletiu na qualidade de sua voz.

Desiludido com a doutrina, percebeu que o mestre Manuel não correspondeu ao ideal de um mestre. O cantor, revoltado, tirou de circulação os álbuns, tendo virado item de colecionadores, devido à raridade. Já nos anos 2000, foram descobertas novas músicas pertencentes à “fase racional”, levando a um terceiro álbum, Racional Volume Três, lançado em CD em agosto de 2011.

Após o término de sua fase racional, Tim voltou a seu antigo estilo de vida e aos temas não religiosos em suas canções. Em 1978, gravou, para a Warner, Tim Maia Disco Club, claramente inspirada pela disco music. Tim foi acompanhado pela Banda Black Rio. Nesse álbum, gravou um de seus maiores sucessos, “Sossego”.