Árie, uma (não) cantora de jazz potiguar

Compartilhe:

Jazz é uma manifestação artístico-musical originária de comunidades de Nova Orleans, nos Estados Unidos. Porém, você pode escutar a manifestação não apenas na terra do Tio Sam, mas em todos os países do globo terrestre. Surgiu no final do século 19 e se desenvolveu a partir de uma mistura de várias tradições, apesar de ter uma forte influência afro-americana, no qual muitos africanos foram trazidos aos EUA , quando ainda era uma colônia da Inglaterra, para realizar trabalhos escravos. Geralmente quando pensamos no jazz, imaginamos uma banda marcial e muito instrumentos de sopro, como saxofone. Porém, aceita todo tipo de instrumento.

Aqui no Brasil, o Jazz pode ser escutado no Chourinho, na Bossa Nova e também no samba, que tem muita influência do estilo principalmente na parte da improvisação.

Por isso, a potiguar Árie enveredou para o manifesto e sua primeira música de trabalho se chama “Samba Triste”, produzida em parceria com a produtora Frika Records, no qual segundo o selo “Árie traz sua voz doce com sotaque jazzístico e um texto que carrega toda expressividade de um olhar atento e observador”. A letra foi composta pela própria cantora, que tem uma voz bastante doce e faz curtir a música rapidinho.

Recentemente, ela gravou um clipe da canção para o Projeto “ProSounds Session – 2ª Etapa” é desenvolvido pelo Studio ProSounds, patrocinado pelo SEBRAE-RN através do edital Economia Criativa 2019. Além de Árie, Se apresentaram artistas como Eduardo Taufic e Jubileu Filho, Carol Sant’Anna, Uma Sra. Limonada, Carmem e Levi, entre outros nomes.

Confira a canção a seguir:

No Twitter, a Árie comentou que não se considera cantora de Jazz, apesar de que o som se pareça bastante, mas agradecemos o retorno e por isso falamos que ela é uma não cantora de jazz.