Natal tem um curso de animação, saiba por aqui

Compartilhe:

Muitos da área de Comunicação Social e Design querem saber a existência do curso de animação em Natal, mas não sabe aonde procurar. Sabendo disso, o Departamento de Comunicação da Universidade Federal do Rio Grande do Norte (Decom/UFRN) está com inscrições abertas até a próxima sexta-feira (9). As inscrições podem ser feitas no site do Sigeventos . O curso tem carga horária de 40 horas e será realizado no Decom (por trás da TVU).

A ação tem como objetivo introduzir a história, as técnicas e os princípios da produção audiovisual de animação para fomentar o desenvolvimento de animadores no Rio Grande do Norte e região. A abertura acontece no dia 19, com uma apresentação geral sobre a história da animação.

São disponibilizadas 20 vagas, sendo 10 para estudantes dos cursos de Comunicação Social (Audiovisual, Publicidade e Propaganda e Jornalismo) e 10 vagas destinadas para estudantes, professores e gestores da rede pública e estadual de ensino; profissionais do Audiovisual; ilustradores; designers e demais interessados.

O curso será realizado entre os dias 19 e 30 de agosto, das 8h às 12h, com aulas expositivas, aplicações de exercícios práticos, exibição e debate de obras, workshops e palestras com profissionais do setor. Trata-se de um pontapé inicial para a oferta de cursos de formação continuada.

Agora você tem um curso de animação em Natal.

História da animação no Brasil

Surgiu na  primeira metade do século XX foram produzidas algumas pequenas experiências em animação sem muita continuidade. Apenas na década de 50 surgiram os primeiros filmes, como “Sinfônia Amazônica”, produzido por Anélio Lattini Filho. Filmado em preto e branco, demorou seis anos para ser concluído pois foi realizado unicamente por Anélio Lattini, sem a ajuda de nenhum outro desenhista. Durante os anos de 1960 a animação passa a ter presença regular na publicidade e surgem os primeiros profissionais da área.

Por falar em publicidade, no Rio de Janeiro, Wilson Pinto junto com Wanda Lattini (irmã de Anélio Lattini) dizeram o curta “Um Rei Fabuloso”, curta de animação feito em 1965 para falar sobre a história do petróleo, fazendo uma discreta propaganda para a Petrobrás.

Em 1973, o japonês, naturalizado brasileiro, Ypê Nakashima lançou o filme “Pinconzé”, considerado o primeira longa-metragem de animação colorida no país.

Outra animação pioneira foi “Presente de Natal”, produzido pelo amazonense Álvaro Henrique Gonçalves sem incentivo de qualquer empresa, governo ou assistentes. Álvaro começou a produzi-la em 1965, e o mais interessante é que, além de criar tudo sozinho, ele ainda construiu a máquina de projeção e sonorização. Álvaro finalizou o fotograma número 140.000 em 1971, levou a animação finalizada em 35mm a um produtor paulista e fracassou, voltou para Manaus onde foi exibido e teve grande repercussão no Brasil.

O estúdio NBR Filmes, do animador Clóvis Vieira produziu o primeiro longa-metragem de animação produzido inteiramente em computação gráfica do Brasil, Cassiopéia, em 1996.