Lan Lanh é uma das atrações do Fest Bossa & Jazz 2019

Compartilhe:

Fest Bossa & Jazz, comemora 10 anos e divulgou a programação completa. Entre atrações locais, nacionais e internacionais, a edição reúne nomes como Lan Lanh, a baiana que reside no RIo de Janeiro está há mais de 30 anos na estrada, fazendo vibrar o som em ritmos que pulsam em corda, couro e madeira. A percussionista é referência no meio e pioneira do Cajón (instrumento) no Brasil e ficou conhecida por acompanhar Cássia Eller em seus shows e por participar da banda Moinho.

Acompanhada pelo violão seis/sete cordas de Guto Menezes e o cavaquinho cinco cordas de João Felippe, Lan Lanh traz para o Fest um show com o DNA de uma artista que navega por todos os mares do afro, seja ele num baião, nos sambas de roda, num arranjo flamenco para o chorinho “Santa Morena”, de Jacob do Bandolim, ou nas batidas para “Taiane”, frevo de Osmar Macedo, o criador do Trio Elétrico”.

Confira um pouco da perfomance da artista a seguir:

O evento promete espalhar música aos quatro cantos de Pipa e gerar contato intimista através dos pockets shows gratuitos entre ruas, galerias e praças no período noturno, distribuídos em cinco polos ao longo da avenida principal, a Baia dos Golfinhos. Já à tarde, os shows acontecem em três restaurantes na praia do centro. No total, são 22 bandas, em 48 apresentações durante os quatro dias de evento, além das Jam Sessions, realizadas ao final da noite, quando músicos e público sem unem para improvisar e cantar.

Outra banda confirmada no Fest Bossa & Jazz são os ingleses do The Cinelli Brothers, consagrados por suas expressivas apresentações na capital inglesa, é formada pelos irmãos Marco (guitarra, voz e composição) e Alessandro (bateria, voz e arranjos) que interpretam clássicos como Back Door Man, de Willian Dixon, e até mesmo Kiss, de Prince. Os irmãos prometem contagiar com o Blues, Soul e R&B.

Moraes, Mathisen e Zimring Trio é uma banda formada pelo paraibano Gabriel Moraes (guitarrista, arranjador e diretor musical), o norueguês Per Mathisen (baixista) e o israelense Utsi Zimring (baterista e compositor). Eles vêm em primeira apresentação no país, trazendo o novo trabalho com composições inéditas, fruto da conexão entre Brasil, Noruega e Israel. Para a vinda do baterista Utsi, o festival contou com a parceria da Embaixada de Israel no Brasil.

Esse time de artistas se juntam a mais 19 atrações, que são: Banda Terráquea & Cacá Magalhães (BA), Brazuka Jazz (RN), Indiana Nomma (Honduras e RJ) e Duetto Cabroso (RN), Darlan Marley Quarteto (RN), Gabriel Yang (CE), Arthur Philipe & Quintessence (PE), Chico Bethoven & Regional Choro do Elefante (RN), Macumbia (PB), Clara Menezes (RN), Duo Rock Cello & Piano (RN), Gumbo Blues (CE), Duo Jubileu Filho & Cacá Velloso (RN), Jammin” (RN), Blues Sinners (PE/RN), Pablo Osta (ARG), Fernanda Fialho (CE), Quarteto da Pipa (URU/ SP/CE/ BA), Bossa & Jazz Street Band (RN).

O festival também em ações socioambientais com palestras, caminhadas ecológicas, oficinas e workshops musicais. Já na quinta e sexta-feira (15 e 16 de agosto) tem palestra musical para crianças da comunidade, com Luciano Prates em ‘O que é esse tal de Jazz’; no sábado (17 de agosto), o músico brasileiro Gabriel Yang ministra o workshop musical para guitarristas e entusiastas, durante quatro horas, com a ‘Construção de Guitarras Artesanais “Cigar Box’’; no domingo (18 de agosto), uma roda de conversa para músicos locais sobre ‘Viver da Música: Realidade e Desafios’, com a cantora e compositora hondurenha, Indiana Nomma.

Após passagem por Tibau do Sul, o evento segue para Mossoró, de 19 a 21 de setembro e, por fim, São Miguel do Gostoso, de 10 a 13 de outubro.