Cultura Queer: O que é e porque será celebrada em mostra de cinema na Casa da Ribeira

Compartilhe:

O termo Queer vem do inglês e usada para designar pessoas que não seguem o modelo de heterossexualidade ou do binarismo de gênero. O termo é usado para representar gays, lésbicas, bissexuais, pansexuais, polisexuais, assexuais e, frequentemente, também as pessoas não-binárias, transgêneras ou transexuais.

Inicialmente era considerada ofensiva, viston que a gíria inglesa significa “estranho, talvez ridículo, excêntrico, raro, extraordinário”. No entanto, atualmente tem sido adotada pela comunidade LGBTQ+ com outro sentido, um sentido positivo. De um termo pejorativo, que colocava constantemente à margem os apontados por ela, a palavra passou a denominar um grupo de pessoas dispostas a romper com a heteronormatividade homofóbica e mesmo com a ordem homossexual padronizante, que exclui as formas mais populares, caricaturescas e até artísticas de condutas sexuais.

Sendo assim, travestis, drag queens, transexuais, e pansexuais ao se denominarem queer ganham espaço social e individualidade, distanciando-se cada vez mais de conceitos tais como “desviantes” ou “aberrações”. Ser queer é seguir uma prática de vida que se coloca contra as normas sexuais socialmente aceitas

Por isso, celebrando o mês da diversidade, a Casa da Ribeira promove nesta sexta (28), a partir das 18 horas,  o Cine Queer. A programação contará com mostra de curtas, música, performances e o grande momento da noite que é a pré-estréia do premiado filme “Inferninho”. O longa é dirigido pela dupla Guto Parente e Pedro Diógenes e passou por festivais e premiações de diversos estados brasileiros e países da América Latina e Europa.

Inferninho é uma tragicomédia inspirada nos melodramas clássicos e nas fábulas de amor e fantasia. O título do longa também dá o nome ao bar, cenário onde a história é protagonizada por Deusimar (Yuri Yamamoto), dona do estabelecimento, que assim como seus funcionários passa os dias envolto numa nuvem de melancolia. Certo dia, ela se apaixona por Jarbas (Demick Lopes), um cliente que chega no bar misteriosamente e causa desconfiança nos demais. A presença dele desperta em Deusimar a esperança de uma vida longe dali.

Essa é a primeira vez que o filme é exibido na capital potiguar. Os ingressos já estão disponíveis no site www.sympla.com.br/casadaribeira ou na bilheteria da Casa.

Além do longa, serão exibidos outras produções audiovisuais dentro do tema como a websérie do Coletivo Caboré Audiovisual “Septo” e os curtas “Cuscuz Peitinho”, de Júlio Castro e Rodrigo Sena, e “Verde Limão” do diretor Henrique Arruda. A programação musical fica por conta do DJ Bruno Vinni. A noite contará também com a performance Cinevirilha dos artistas Vinícius Dantas e Vicente Martos.

SERVIÇO

Cinequeer

Local: Casa da Ribeira

Data: 28.06.2019

Horário: 18h (O Café da Casa abre às 17h)

Ingressos: www.sympla.com.br/casadaribeira

Antecipado – R$ 15 (até às 16h do dia 28/06)
Na hora – R$ 30 (Inteiro) R$ 15 (Meia/Clube Amigo da Casa)