Por 10 reais, você assiste dois filmes que falam sobre a Ditadura Militar

Compartilhe:

Após 34 anos de seu fim, a Ditadura Militar ainda é um fantasma e uma cicatriz aberta, principalmente por ações que não querem investigar o que realmente aconteceu com os presos políticos. Sabendo disso nasce a Sessão Teia-Brasil em Natal, no qual acontecerá na próxima quarta-feira (29), onde serão exibidos em Natal dois filmes sobre as memórias da ditadura militar no Brasil: o premiado longa-metragem “Torre das Donzelas” (2018), de Susanna Lira, e o curta potiguar “Codinome Breno” (2018), de Manoel Batista. O evento acontecerá no Teatro de Cultura Popular Chico Daniel (TCP), em duas sessões: às 16h30 e 19h, sendo a última seguida de debate com o realizador Manoel Batista e com a professora e pesquisadora Conceição Fraga.

Os ingressos custam 10 reais, a meia-entrada.

Ainda inédito em Natal, o premiado filme Torre das Donzelas, dirigido por Susanna Lira, aborda a memória e resistência de mulheres que foram presas durante a ditadura militar num conjunto de celas femininas do Presídio Tiradentes, em São Paulo. Dentre as premiações, o filme foi eleito o melhor documentário brasileiro no 20º Festival do Rio e na 42° Mostra Internacional de Cinema de São Paulo, além de ter recebido o prêmio especial do júri no 51º Festival de Brasília.

 Já o curta potiguar Codinome Breno, com direção de Manoel Batista, trata da memória familiar do realizador através da busca pela história de militância política do seu pai durante a ditadura militar no Brasil. Produzida pela Casu Filmes, a obra foi viabilizada por meio do edital Cine Natal 2014, lançado pela Prefeitura do Natal com recursos do Fundo Setorial do Audiovisual (FSA). 

Saiba mais sobre os filmes exibidos:

Torre das Donzelas (Dir. Susanna Lira, 2018, 97 min, 12 anos)

O documentário Torre das Donzelas recupera a história de um grupo de mulheres presas políticas que ocupou uma cela no presídio Tiradentes. Quebrando o silêncio, 40 anos depois, ex-companheiras de cela de Dilma Rousseff revelam como viveram juntas no cárcere sob a ditadura militar.

Codinome Breno (Dir. Manoel Batista, 2018, 19 min., Livre)

Para reconstruir o mosaico de memórias familiares, Manoel busca através da origem do nome de seu irmão, dos objetos de família e dos relatos dos amigos mais próximos as peças que faltam nesse quebra-cabeça. A busca por esse nome termina por descortinar passagens da ditadura militar no Brasil.

A Sessão Teia-Brasil é um projeto que visa promover a exibição e discussão de longas-metragens brasileiros contemporâneos e de curtas-metragens potiguares. Nesta edição, o projeto conta com apoio institucional do Governo do Estado do Rio Grande do Norte, Fundação José Augusto (FJA) e Teatro de Cultura Popular Chico Daniel (TCP), através do edital Pauta Livre TCP 2019, e com o apoio cultural do Núcleo de Arte e Cultura (NAC/UFRN), Cooperativa Cultural, Cinemateca Potiguar (IFRN) e mandato da vereadora Divaneide Basílio (PT).

Serviço:

Dia: 29 maio 2019 (quarta-feira)

Horários: 16h30 e 19h

Local: TCP Chico Daniel (Rua Jundiaí, 641,Tirol)

Entrada: R$ 20 (inteira) | R$ 10 (meia)*

*Ingressos promocionais a R$ 10 até 27/05, através do link: sympla.com.br/teiabrasil

Classificação Indicativa: 12 anos

Mais informações na página do evento: https://bit.ly/sessaoteiabrasil