10 fatos sobre Parelhas, cidade que foi cenário do filme “Bacurau”, vencedor em Cannes

Compartilhe:
O filme brasileiro “Bacurau” ganhou o Prêmio do Júri no Festival de Cannes neste sábado (25), juntamente com o francês “Les Misérables”. O filme é dirigido por Kléber Mendonça Filho e Juliano Dornelles e foi gravado no município de Parelhas, no Rio Grande do Norte, no ano passado, na comunidade de Barra, mobilizando diversas pessoas como figurantes e apoio para a produção. No elenco, entre nomes desconhecidos e jovens, a estrela Sonia Braga e o alemão Udo Kier.
Por isso, o Brechando fez uma lista para falar das curiosidades desta cidade, que agora está famosa no mundo todo.

Confira as curiosidades a seguir:

1) O Bandeirante Domingos Jorge Velho, destruidor do Quilombo dos Palmares, ocupou as terras que formariam a cidade no ano de 1688

Resultado de imagem para domingos jorge velho

Durante o período da ocupação holandesa no Rio Grande do Norte, os índios das tribos guerreiras dos Canindés e Janduís habitantes pioneiros da região, aliaram-se aos invasores. Com o advento do levante indígena chamado Guerra dos Bárbaros, chegaram ao território vários destacamentos armados, comandados por Domingos Jorge Velho, com o objetivo de “acalmar” (a gente sabe que não foi bem assim) a região.

Domingos Jorge Velho era um bandeirante, que em março de 1687 assinou com o governador João da Cunha Souto Maior as condições para atacar o quilombo dos Palmares. No ano seguinte ocupou as terras que sugiriam, futuramente, Parelhas.

Em 3 de dezembro de 1691, o governador de Pernambuco, o Marquês de Montebelo, confirmou as disposições acertadas antes entre Souto Maior e Domingos Jorge Velho para a campanha de destruição dos mocambos. O contrato foi ratificado pelo Marquês no mesmo dia e confirmado pela Carta Régia de 7 de abril de 1693, que estipulava as mútuas obrigações. Domingos Jorge Velho marchou imediatamente ao local, dando início a anos de combate. Contou com constantes reforços de contingentes novos, inclusive de Bernardo Vieira de Melo, mais tarde promotor da Guerra dos Mascates. Apenas em 1695 estaria o quilombo destruído. Calcula-se que no Quilombo de Palmares viviam quinze mil negros fugidos à escravidão. No mesmo ano de 1695, foi morto Zumbi

2)Primeira população foi em volta das margens do Rio Seridó

Rio Seridó

Os primeiros habitantes instalaram às margens do rio Seridó atraídos pela qualidade das terras propícias a agricultura e à criação de gado. O Tenente Francisco Fernandes de Souza que chegou à região nos idos de 1700, é considerado o mais antigo entre os pioneiros moradores do território.

3)O primeiro nome da cidade foi Boqueirão

Um dos primeiros habitantes da cidade ganhou uma propriedade de terra que formaria a Fazenda Boqueirão, de propriedade de Félix Gomes Pereira era considerada um ponto de encontro de boiadeiros com destino à Paraíba e de cavaleiros que passavam sistematicamente para a feira de Conceição do Azevedo (hoje Jardim do Seridó).

4) O primeiro morador foi um tenente

O Tenente Francisco Fernandes de Souza que chegou à região nos idos de 1700, é considerado o mais antigo entre os pioneiros moradores do território.

[the_ad id=”24533″]

5) Parelhas recebe este nome por conta de uma brincadeira com os bois

Nos caminhos da Fazenda Boqueirão havia uma ampla estrada onde os cavaleiros e boiadeiros costumavam fazer corrida com seus cavalos, correndo lado a lado, pegando parelha, surgindo assim o nome da localidade

6) Parelhas teve participação na política do estado, com a Revolução de 1930, que colocou Getúlio Vargas no poder

Resultado de imagem para vargas

Durante o governo do interventor Mario Câmara que, em 1933, nomeou para prefeito de Parelhas o comerciante e fazendeiro paraibano Ageu de Castro, líder da facção Liberal ou “pelabucho”, que entrou em confronto armado com os militantes do Partido Popular, conhecidos no Rio Grande do Norte como “Perrepistas”. Os Perrepistas eram liderados em Parelhas pelo fazendeiro Florêncio Luciano com o apoio de toda a elite de coronéis da região.

As escaramuças partidárias culminaram com o famoso “tiroteio de 13 de agosto de 1934”, durante um comício realizado na cidade pelos perrepistas. Este episódio foi noticiado na imprensa de quase todo o país.

7) A Igreja Matriz foi construída durante um surto de cólera

Uma terrível epidemia do Cólera Morbus se alastrou por todo o território do Rio Grande do Norte, em 1856, e Sebastião Gomes de Oliveira e Cosme Luiz, moradores das redondezas,
fizeram a promessa de construir uma capela consagrada a São Sebastião, se lhes fosse concedida a graça de escapar do flagelo.

8) O povoado foi transformado em município em 1927

Antigamente fazia parte do distrito de Jardim do Seridó.

9) Parelhas foi cenário do filme “Bacurau”

Resultado de imagem para bacurau filme

O filme é dirigido por Kléber Mendonça Filho e Juliano Dornelles e foi gravado no município de Parelhas, no Rio Grande do Norte, em 2018, na comunidade de Barra, mobilizando diversas pessoas como figurantes e apoio para a produção, que conta a história da fictícia Bacurau, uma pequena cidade do sertão brasileiro, lamenta a perda de sua matriarca, Carmelita, que viveu até os 94 anos. Dias depois, seus habitantes percebem que sua comunidade desapareceu da maioria dos mapas. O filme ganhou Cannes na categoria de Júri Popular.

As locações foram encontradas após a produção ter visitado os estados da Paraíba, Alagoas e o Rio Grande do Norte. Já as gravações duraram em torno de dois meses.

A equipe contou com mais de 150 profissionais de quatro países, sendo o elenco formado por 44 atores, incluindo Sonia Braga.

10)Faz fronteira com 3 cidades da Paraíba

Parelhas tem 20 mil habitantes e faz fronteira com 3 cidades paraibanas, que são: Nova Palmeira, Pedra Lavrada e São Vicente do Seridó.