[CRÔNICA] Obrigada, Alecrim, por salvar a páscoa

Compartilhe:

Os chocolótras de plantão pensam, rapidamente, que a páscoa é o melhor momento para quebrar a dieta. Desde a quarta-feira de cinzas até o sábado de aleluia, eu choro ao saber que o preço de um ovo de chocolate da Baton é o equivalente a comprar 10 barras na Docelândia (se tiver muita sorte). Mas, os deuses do chocolate fizeram a sorte de criar barras de chocolate de um a dois quilos para derreter e colocar em forminhas de chocolate. Mas, onde encontrar esses equipamentos para fazer de forma correta?

Se não estiver com aquela fábrica de chocolate da Eliana, a gente pode correr no Alecrim, pois no final da avenida Alexandrino de Alencar e também na Coronel Estevam (a av.9) também tem várias lojas especializadas em decoração, que vende forminhas e chocolates para fabricação.

Quem inventou de ir ao sábado passado (13) para seguir essa odisseia de comprar os mantimentos para fazer o seu próprio ovo de páscoa. Eu, por exemplo, fui uma dessas para a saga do vaqueiro.

Entrando na primeira loja, eu só faltei ver o Willy Wonka, pois o que mais via era quilos e mais quilos de chocolate. Além disso, haviam todas as moças oferecendo para degustação. Eu, claro, provava todos e ficava querendo saber se o melhor era a marca número 1, número 2 ou número 3. Minha glicose deve ter saltado para 1000, mas tudo bem.  Ainda podia escolher os caros, como Nestlê ou Garoto, mas como não tinha condições monetárias financeiramente, eu fui provando aos poucos.

Nesse meio período de dúvidas, ainda descobri que chocolates podem ser temperados e que existia o modelo Blend, que nem é ao leite e muito menos meio amargo. Tipo Carne, que existe a bem passada, mal passada e ao ponto. O Alecrim tem um pouco de escola para descobrir as tendências do mercado.

Uma barra de 1kg de chocolate para fazer doces dava para fazer mais de 10 ovos do tamanho 15, que custava mais de 30 reais nos grandes supermercados. Tudo isso custando em torno de 40 reais.

E você ainda estava em dúvida se compraria ou faria o seu próprio ovo?

Após o chocolate comprado, hora de comprar a decoração, parte da papelaria tinha de tudo, queria embrulhar meus futuros ovos de páscoa com todo tipo de papel possível e escolher as melhores embalagens.

As mais enfeitadas eram as mais caras, mas ainda custava menos que um ovo industrializado. Escolhemos comprar um papel que funciona com um saco e não precisa se atrapalhar toda na hora do embrulha-embrulha.

Ainda tinha as forminhas, que tinha de todos os jeitos, desde dinossauros até coelhinhos bonitinhos. Sem contar que tinha formas modernas, daquelas que uma passada de chocolate o seu ovo estava pronto, ao invés de pincelar camada por camada até formar o ovo. Na mesma loja que eu fui, eles colocaram em um monstruário uma decoração para páscoa que deixaria qualquer festa de ryco no chinelo de tão bonita.

Saí de sacola cheia, mas feliz e fui correndo para a cozinha fazer meus ovinhos de páscoa. Domingo tenho certeza que vou comer até enjoar, graças ao Alecrim!