Estranho caso de ter medo da vinheta do horário de verão

Compartilhe:

Quando era pequena, eu tinha medos considerados peculiares. Aos seis ou sete anos, achava que uma forte chuva poderia me matar afogada, principalmente após ficar impressionada ao assistir inúmeras matérias sobre enchetes e desabamentos de morro nos jornais. Uma vez soltou uma forte chuva na escola, caí em crise de choro, pois achara que o colégio seria derrubada, rapidamente fiquei anos sendo alvo de zombaria dos outros estudantes.

A televisão e sua seleção de notícias pode emitir diferentes feedbacks entre os espectadores, inclusive as crianças. A TV sempre me fazia ter medo, visto que assistia durante a noite, rapidamente associando ao fim do dia, o término e aquele questionamento sobre o que acontece depois do fim ? Para mim a palavra meia-noite significava o fim, logo tinha medo, principalmente porque a palavra estava ligada aos filmes de terror. Lembrando que um dos filmes do Zé do Caixão se chama “A Meia-Noite Eu Levarei A Sua Alma”.

Durante o mês de outubro, todos os estados brasileiros tinham que adiantar os relógios uma hora antes por conta do horário de verão e uma forma de economizar energia naquele período do governo de Fernando Henrique Cardoso, onde teve uma tremenda crise energética. O Hans Donner, o rei das vinhetas em 3D e degradê da Globo, sempre fazia algo similar para anunciar este período. Claro que sempre chorava. Por quê ? Uma voz bem séria dizia:

“Hoje, a meia-noite, começa o horário de verão”.

Parecia que seria o fim do mundo, que o verão iria destruir todas as pessoas da terra. Além da arte horrível, usando um abstrato estranho em forma de relógio (só entendendo isso hoje, porque na época não parecia nada) e um solo de guitarra muito agudo, no qual sempre tinha susto quando começara e caindo no choro logo em seguida.

Alguém da diretoria da Rede Globo deve ter escutado as minhas preces e colocaram uma vinheta mais lúdica, com uma música mais tranquila e voz calma. O pesadelo dos meus pais em ter que colocar a tv no mudo só voltava em fevereiro, quando anunciavam o encerramento do horário de verão.

Um dia desse descobri que não estava só, quando assisti um dos episódios de “O Brasil Que Deu Certo”, no qual eles copilaram uma lista com 50 medos das crianças dos anos 90 (ficou na 30² colocação), baseados a partir de tweets coletados para uma enquete: