De onde veio o termo boquete ?

Compartilhe:

substantivo masculino
1.
boca pequena.
2.
pequeno buraco, orifício.
3.
início de um espaço estreito entre terrenos elevados.

De acordo com o dicionário, o termo é diminutivo da palavra boca, mas devido ao termo de cunho sexual, muitos chamam “boquinha”. O termo, popularmente, ficou associado ao termo de sexo oral, principalmente após o sucesso do filme pornô Garganta Profunda, lançado em 1972, no qual o ato de felação feito numa mulher e homem ficou amplamente conhecido. Mas, de onde veio este termo ?

Em Espanhol, o termo é designado para pequenos buracos.

O termo é uma brincadeira com uma outra gíria conhecida para o ato oral: bola-gato. Fale bem rápido a palavra “Ball” (Bola) e “Cat” (Gato). Porém, não se sabe qual que vem primeiro.

O sexo oral é praticado em relacionamentos homo e heterossexuais. Em relacionamentos heterossexuais, o sexo oral pode ser um método do anticoncepcional, tendo em vista que gravidez é inviável desde que o esperma não entre em contato com a vagina. É importante ressalvar que o sexo oral não é um método eficaz de impedir as Doenças sexualmente transmissíveis (DSTs), embora algumas formas de DST se acredite serem menos prontamente transmissíveis dessa maneira.

Atitudes culturais para o sexo oral foram da repulsa à reverência: na Roma Antiga, foi considerado um tabu, enquanto que no taoísmo é reverenciada como uma prática espiritual gratificante que aumenta a longevidade. Na cultura moderna ocidental, o sexo oral é amplamente praticado entre os adolescentes e adultos.

Além disso, já foi considerado um tabu ou pelo menos desaprovado em muitas culturas e partes do mundo. As pessoas dão várias razões para isso. Alguns dizem que esse ato sexual não leva à procriação e, portanto, não é natural. Outros afirmam que é uma prática humilhante e/ou impuros (uma opinião que é, pelo menos em alguns casos, relacionado com o simbolismo ligado a diferentes partes do corpo).

Foi observado que os animais de muitas espécies praticam sexo oral. O desejo de explorar algo com a boca é muito fácil de observar como um impulso intuitivo e natural. Também tem sido sugerido que existe uma vantagem evolutiva devido à tendência de primatas não-primatas e humanos para fazer sexo oral. Na Roma Antiga, os atos sexuais eram geralmente vistos através da submissão e controle. Sob este sistema, foi considerado abominável para um homem fazer felação, contudo quando recebia sexo oral de uma mulher ou outro homem de menor status social (como um escravo ou devedor) não era tão humilhante.

Alguns casais heterossexuais usam o sexo oral como um substituto para o coito durante o ciclo menstrual mulher ou durante a gravidez.

Um relatório feito em setembro de 2005 pelo National Center for Health Statistics que foi base da introdução de uma reportagem feita em 26 de setembro de 2005 na revista Time. O relatório traz resultados de um inquérito com 12.000 americanos entre os idades de 15 e de 44 anos, e indica que mais da metade dos adolescentes entrevistados já praticaram sexo oral. Algumas manchetes interpretaram, na época que estas evidências como que se o sexo oral entre adolescente estivesse “em ascensão”, entretanto este foi o primeiro estudo detalhado deste tipo para examinar esta matéria.