[CRÔNICA] Longe dos 20, perto dos 30 anos

Compartilhe:

Achava que minha vida melhoraria depois dos 20 anos, a gente sempre tem essa mania de que o amanhã vai ser sempre melhor. Mas não é bem assim….Nunca me contaram que aquela estabilidade perfeita – estudar, formar em um curso de graduação, casar e ter família – pode chegar até mesmo depois dos 50 anos ou talvez consiga algumas dessas coisas ou vai viver como um eterno equilibrista até a sua morte. São nesses momentos que a gente questiona o porquê da nossa vida ainda não tenha dado certo, o que fazer quando não chegar aquele equilíbrio de tudo.

Estou tentando, aos poucos, ficar não frustrada com o que não consegui e tentar vibrar com as minhas pequenas vitórias. Está difícil viver. Está difícil amar. Está difícil de arranjar o emprego dos sonhos.

Todos estão desconfiados, mas isso não me faz desistir ou sair correndo feito uma louca no meio da rua. Pelo, contrário, me estimula ainda mais de deixar alguma mensagem ou um legado útil para a humanidade. Pode ser uma palavra, invenção ou uma boa ação.  Ninguém falou que a vida adulta era feita por boletos, cartões de crédito e muitas dores de cabeça. Além disso, aquelas angústias que a gente tinha durante a adolescência, lembra delas ? A mesma vão ficar cada vez piores quando a gente estando mais velhos.

Neste momento, eu estou me conhecendo melhor (autoconhecimento é importante), planejando coisas concretas, mais preparada para acontecimentos mais pesados e sendo mais seletiva em qualquer atitude.

Daqui a quase uma semana chego aos 26 anos, estou longe dos 20 anos e perto dos 30 anos, faltam quatro anos para 2023. Minha vida está cada vez mais maluca e tudo que havia planejado para esta década, já foi aos ares. Quero apenas terminar esta década, que está terminando, com olhos mais firmes e querer caminhar com a cabeça mais erguida.