Menina potiguar anda com Uber que estava armado com a Bíblia

Aperte nestes botões para aumentar a fonte:

(Diminuir/Resetar/Aumentar)


Desde que houve o massacre no presídio de Alcaçuz, na região Metropolitana de Natal, os noticiários ficaram mais atento com os acontecimentos relacionados à violência urbana, desde assaltos até latrocínio, crime conhecido quando uma pessoa rouba e assassina ao mesmo tempo. Além disso, foram divulgadas várias pesquisas relacionadas ao aumento de crimes em todo o Rio Grande do Norte, fazendo com que o estado virasse destaque dos principais noticiários do país. Isso é um assunto recorrente na cidade e também em outras capitais brasileiras que estão transformando em metrópoles.

Recentemente, uma garota de Natal-RN que se nomeia como Sia no Twitter contou sua história engraçada envolvendo um Uber através do Twitter, no qual viralizou e também parou em outras redes sociais, como o Facebook. A garota pediu um carro no aplicativo e os dois começaram a comentar sobre a falta de segurança que está Natal e como estão com medo de ser assaltado o tempo todo, visto que é comum os jornais da capital potiguar falarem dos crimes relacionados ao motorista da empresa.

Então, ele solta a seguinte pérola: “Por isso ando armado o tempo todo, que está no seu lado”. A menina, prontamente, fez uma cara de escândalo achando que iria ser roubada naquele momento. Mas, o rapaz, rapidamente responde que a “arma” em questão é nada mais que nada menos que a Bíblia Sagrada.

O tweet já foi retuitado por mais de oito mil pessoas, que se identificaram com a situação. O bate-papo completo pode ser visto a seguir:

Nos últimos anos, o Rio Grande do Norte tem figura na lista dos estados mais violentos do Brasil levando em consideração a taxa de homicídios. Notícias de mortes violentas se tornaram rotineiras na vida do norte-rio-grandense e causam medo na população. Após anos de aumento no número de homicídios, este ano o RN registrou uma queda de cerca de 17% na taxa. Os dados levam em consideração os períodos entre 1º de janeiro e 3 de dezembro de 2018. Para os especialistas, ainda não há o que comemorar, já que o ano de 2017 foi, disparado, o mais sangrento da história, com mais de dois mil assassinatos no estado.