Escola de música recebe musical sobre Augusto Severo

Compartilhe:

Fazendo parte dos 60 anos da UFRN,  estreia esta semana o espetáculo “Sapiens e a ciranda do infinito”,  na Escola de Música da UFRN, que fica no campus de Natal. A ópera musical de Danilo Guanais tem direção de Diana Fontes, conta com alunos da instituição no elenco e será apresentada nos dias 22 e 23 para a comunidade às 20 horas. A entrada é gratuita. O nome vem do latim e está relacionado à sabedoria.

Exemplo disso, o Homo sapiens é o nome dado à espécie dos seres humanos, de acordo com a classificação taxonômica. Esta é uma expressão latina que significa literalmente “homem sábio” ou “homem que sabe”. Estima-se que os primeiros Homo sapiens tenham aparecido entre aproximadamente 300 mil e 100 mil anos atrás, na atual região do leste africano.

Em “Sapiens”, o aviador Augusto Severo se vê às voltas com os problemas relacionados ao seu sonho de ver seu balão “PAX” alçar vôo e ser dirigível, representando seu desejo de paz entre as nações. Sua morte, pela explosão do dirigível, em 12 de maio de 1902, em Paris, logo após demonstrar com sucesso seu vôo controlado, tornou-o mártir da tecnologia aeronáutica.

Em meio aos diversos problemas que a personagem tem em sua empreitada, ele é “visitado” por personagens ilustres, como: Leonardo da Vinci (pesquisador) esclarece a ele seu papel como homem pensante, resultado da evolução e sobre o uso de ferramentas. Câmara Cascudo (folclorista) aborda aspectos da aquisição da linguagem, necessidades financeiras e o desenvolvimento da cultura vendo o projeto do dirigível. Cora Coralina (poetisa) discute com ele estética e arte, enquanto Maria da Fé (Maria Felipa, heroína baiana) situa as aflições e conquistas de Augusto Severo no contexto geográfico e técnico da busca pelo saber.

Sapiens é uma ópera-musical que transita entre uma linha erudita e outra popular.

SERVIÇO:

SAPIENS E A CIRANDA DO INFINITO

DIAS 22 E 23 DE DEZEMBRO

20H

ESCOLA DE MÚSICA DA UFRN

ENTRADA GRATUITA