Deixando o Centro de Curitiba Colorida

Compartilhe:
Quando pensamos em Curitiba, pensamos em Polícia Federal e Operação Lava-Jato por conta das notícias sobre o casos de corrupção. Durante o mês de agosto, o duo goiano de ilustradores Bicicleta Sem Freio desenvolveu um mural de escala monumental no centro da capital paranaense.A atividade faz parte do.  projeto “Muchas Cores”, idealizado pelo Mucha Tinta, que desde 2007 trabalha com um coletivo de artistas para desenvolver projetos de artes visuais para o mercado cultural.A produtora de arte urbana Mucha Tinta é idealizada pela designer Giusy De Luca, realizou a primeira edição do projeto “Mucha Cores”, no centro de Curitiba.Mucha Tinta é uma produtora de arte que, desde 2007, trabalha com um coletivo de artistas para desenvolver projetos de artes visuais para o mercado cultural e de comunicação.Os artistas convidados foram os renomados ilustradores do duo Bicicleta Sem Freio, formado pelos goianos Douglas Pereira e Renato Reno.As principais características são o trabalho manual, o capricho tipográfico e o desenho de mulheres. Com influências que vão de Edward Mucha a James Jean, os garotos exploram com maestria as cores, as formas e as curvas dos mais variados tipos de garotas, sempre com uma dose de psicodelia e humor únicos. Boa parte de seus primeiros trabalhos foram cartazes para shows de rock e eventos culturais.De certa maneira, essa atuação tem influência direta no surgimento da banda Black Drawing Chalks, que Douglas faz parte. A dupla assina murais em vários lugares do mundo, como Montreal e México, e tem importantes clientes internacionais, como Nike e UFC.Logo após a conclusão do projeto “Mucha Cores”, em Curitiba, o Bicicleta Sem Freio se prepara para uma sequência de produções de obras públicas na Europa e nos Estados Unidos, em centros como Londres, Berlim, Miami, Las Vegas, Los Angeles, Hawaii e Nova Iorque.O foco foi a criação e produção de um painel público permanente de quase 300 metros quadrados, desenvolvido diretamente sobre superfície arquitetônica localizada na Rua Marechal Deodoro 686 e consensualmente escolhida por seus respectivos autores e pela Fundação Cultural de Curitiba, procurando estimular a apreciação da comunidade e revitalizar a paisagem urbana.Mas por que o Graffiti? A produtora Giusy De Luca alega que “dados do IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística) revelam que 96% dos brasileiros não frequentam museus e que 93% nunca foram a uma exposição de arte, por isso é tão importante levar a arte até as pessoas.”.Além disso, o Bicicleta Sem Freio deu uma palestra gratuita no Hotel Centro Europeu, com mediação da designer e ilustradora Cristina Pagnoncelli, e entrega de cartazes serigrafados.O Mucha Cores com Bicicleta Sem Freio tem produção de Bernardo Bravo Soares, é incentivado pela fintech curitibana EBANX, pela Fundação Cultural de Curitiba e pela Prefeitura de Curitiba. Os apoiadores são Centro Europeu, Fitto, Solaris, Tintas Verginia, e Vila Urbana.