Haverá uma segunda edição do Prêmio de Marchinhas Carnavalescas em Natal

Aperte nestes botões para aumentar a fonte:

(Diminuir/Resetar/Aumentar)


As marchinhas estão voltando, esta é a proposta do Prêmio Dosinho de Marchinhas, cuja inscrição começou dia 3 de janeiro e termina até o dia 19 de janeiro.  O concurso recebe este nome, pois é uma homenagem ao compositor Claudomiro Batista de Oliveira, conhecido como Dosinho, que se notabilizou no cenário carnavalesco como importante e criativo construtor de marchinhas gravadas por vários intérpretes brasileiros. Organizado pelo produtor cultural Marcelo Veni, a primeira edição aconteceu em 2017, o evento pretende contribuir com as tradições do carnaval potiguar e promover uma saudável e divertida disputa entre os talentos da nossa música.

Originalidade do tema; letra; caracterização e performance dos intérpretes; e harmonia e melodia são os quesitos que serão avaliados pela curadoria.

Confira os prêmios dos vencedores a seguir:

1º Lugar do concurso – Marchinha Do Ano R$ 4.000,00 (Quatro Mil Reais + Prêmio Dosinho de Carnaval)

2º lugar do concurso R$ 2.000,00 (Dois Mil Reais + Prêmio Dosinho de Carnaval)

3º lugar do concurso R$ 1.000,00 (Mil Reais + Prêmio Dosinho de Carnaval)

Interprete de Marchinhas do ano de 2018.
Premiação única: R$ 3.000,00 (Três Mil Reais + Prêmio Dosinho de Carnaval)

Período de inscrições: 03 de Janeiro a 19 de Janeiro de 2018

O regulamento pode ser visto através deste link. Evento é um patrocínio da Prefeitura do Natal, através do Programa Djalma Maranhão e do Banco do Brasil.

A escolha das 05 finalistas do concurso, acontecerá com apresentação ao vivo das classificadas, no dia 09 (sexta) de fevereiro de 2018, a realizar-se no PALCO DAS MARCHINHAS, localizado no largo do Atheneu. A final será dia 20 de fevereiro de 2018, a realizar-se no Auditório do Sesc/RN, localizado na Cidade Alta, quando serão apresentadas ao vivo as 05 finalistas para definição e premiação da ‘’Marchinha do Ano’’ e do 2º e 3º lugar;

Sobre o Dosinho

Nascido no município de Campo Grande (na época era Augusto Severo), no dia 24 de dezembro de 1927, Claudionor Batista de Oliveira começou a sua carreira fazendo composições para campanhas publicitárias e políticas. As marchinhas, frevos e sambas de Dosinho animam as festas há décadas. Continuou compondo canções até o fim de sua vida.

Durante a sua carreira, ele compôs 168 músicas, gravadas por diversos artistas, incluindo Alceu Valença, que neste ano fará show na cidade durante as comemorações da folia de momo. Ainda na juventude, ele trabalhou na banda da Aeronáutica durante os dez anos que prestou o serviço militar.

Foi assistente de orquestra da Rádio Nacional no Rio de Janeiro. Trabalhou na Gravadora Copacabana como agente e na Mocambo como representante. Começou a compor nos anos 40, mas suas primeiras composições gravadas foram na década de 1950.

As músicas mais famosas dele eram: “Eu não vou, vão me levando”, “Doido também apanha”, “Carnaval com Bin Laden” e “Dólar na Cueca”.