Você pode estudar em EUA em 2017 e vamos te explicar como

Aperte nestes botões para aumentar a fonte:

(Diminuir/Resetar/Aumentar)


Essa é uma boa notícia para quem estuda na Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN). A instituição de ensino está pré-selecionando um estudante para participar do programa ‘Study of the U.S. Institutes’, do governo dos Estados Unidos, na área de questões ambientais globais.

Podem se candidatar alunos de qualquer curso de graduação da UFRN que estejam cursando a partir do terceiro semestre. A Superintendência de Relações Internacionais (SRI) da universidade, que faz a pré-seleção, dará preferência a estudantes que tenham pelo menos um semestre a cursar depois do fim do programa.

Além de fluente em inglês, a pessoa escolhida deve ser “altamente motivada” e “demonstrar liderança através do trabalho acadêmico, envolvimento comunitário e atividades extracurriculares”. Terão preferência candidatos com pouca ou nenhuma experiência anterior nos Estados Unidos ou outro país estrangeiro.

O formulário de inscrição precisa ser enviado para a SRI até 4 de janeiro. O formulário, a lista completa de requisitos para concorrer à vaga e outras informações podem ser acessados no SIGAA, na seção Notícias e Comunicados.

As atividades acontecerão entre  julho a agosto de 2017 na Universidade de Montana, que fica na cidade de Missoula. É uma instituição estadual que está em atividade desde 1893. As aulas serão em inglês. O objetivo é proporcionar um conhecimento mais profundo sobre o país e aperfeiçoar as habilidades de liderança dos participantes.

Missoula é uma cidade que tem mais de 60 mil habitantes e e conhecida pelo nome “Big Sky Country”.

Parte interna da universidade
Parte interna da universidade

Nesse período, os alunos participarão de seminários, leituras, apresentações e palestras, além de viagens de campo e trabalhos voluntários na comunidade local.

O foco do programa é explorar qual papel a política ambiental tem exercido no desenvolvimento econômico e político dos Estados Unidos. Serão abordados temas como mudança climática, gestão de recursos naturais, ecoturismo e geração de energia, do ponto de vista do ativismo, das iniciativas cidadãs, do mercado e das políticas de governo.