150 dias de Covid: Pesquisa descobre rota da doença no RN

Aperte nestes botões para aumentar a fonte:

(Diminuir/Resetar/Aumentar)


Completamos 150 dias de quarentena. 150 dias de Covid. Podemos dizer que o ano de 2020 foi marcado pela pandemia do Covid-19. Além disso, várias pesquisas mostram as causas e curiosidades. Uma delas é o mapeamento da rota do Coronavírus, que você vai conferir nesta postagem.

O objetivo da pesquisa era entender como a doença chegou no Brasil. Por isso, pesquisadores do campus de Caicó da Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN), participam de um mapeamento da pandemia. Foram coletados por dados epidemiológicos, além de informações aeroportuárias e transporte aéreo.

Intitulado de Identificação das rotas iniciais de importação e disseminação da covid-19 no Brasil, o artigo foi publicado na revista GeoSaberes, da Universidade Federal do Ceará (UFC).

O que foi estudado

Os pesquisadores apresentam dados sobre as contaminações iniciais no Brasil e observou-se que 19 deles (66,7%) tiveram primeiros casos relacionados a pessoas com histórico de viagem internacional. Esses voos aconteceram na Europa e Estados Unidos, conforme a imagem mostrada acima do título.

Em apenas oito estados (33,3%) os relatos dão conta de primeiros casos registrados após viagens dentro do país.

Casos iniciais poderiam ter sido evitados

De acordo com o pesquisador Marco Túlia Mendonça Diniz, em entrevista para a Agecom, confirmou que a doença poderia ser evitando fechando as fronteiras nacionais e internacionais.

“Se o Brasil tivesse fechado seus aeroportos ainda em fevereiro para voos vindos desses destinos, os casos iniciais poderiam ter sido evitados”, explicou.

Coronavírus chegou no Brasil através de viagens à Europa

Em números, de acordo com os dados epidemiológicos utilizados pelo estudo,  90,48% dos infectados foram identificados registros de visita ao continente Europeu.

Já entre aqueles que relataram ter viajado apenas no Brasil foram apontados os estados de São Paulo (66,7%), Rio de Janeiro (22,2%) e Ceará (11,1%) como destino.

Contágio através dos aeroportos

“A decisão de fechar os aeroportos para voos desses países foi tomada por muitas nações, como a Nova Zelândia”, afirma o professor Marco Túlio.

Também assinam o artigo os pesquisadores Vitor Hugo Pereira, membro do Grupo de Pesquisa em Geoprocessamento e Geografia Física da UFRN, Glairton Rocha e Marcos Antônio Cavalcante, do Grupo Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável do Instituto Federal do Piauí (IFPI).

150 dias de quarentena e Coronavírus no RN

15 de agosto completou cinco meses que entramos em quarentena e algumas lojas começaram abrir as portas, inclusive os shoppings, conforme falamos por aqui. E os casos de julho foram maiores que os outros meses? Quantos foram? Realmente diminuiu? O Brechando foi analisar os dados da Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN) que estão mapeando os casos em parceria com a Secretaria Estadual da Saúde Pública (Sesap).

Até o dia 15 de julho, foram registrados 3353 casos. E o restante do mês? O restante do mês foi de 13.618 infectados por Covid-19.  Ou seja, foi menor que maio e junho, no entanto a furada de quarentena pode tudo mudar, visto que o isolamento social está abaixo dos 40% e o número de infectados ainda está continuando.

E como tá até agosto? Até o dia 15 de agosto foi registrado 1965 novos casos do novo coronavírus. Ao todo o Rio Grande do Norte tem quase 60 mil casos e duas mil mortes já confirmados. Os maiores casos são:  Natal, Mossoró, Parnamirim, São Gonçalo do Amarante, Caicó, Apodi, Assú, São José de Mipibu, Macaíba e Areia Branca

Confira o Infográfico mostrado portanto a linha do tempo da pandemia no estado