Por que eu sou #teamcopinho ?

Compartilhe:

Há cerca de dois meses estou utilizando o coletor menstrual, o famoso copinho e muitas meninas pediram para que falasse do objeto em questão. O objeto é difícil de ser encontrado em Natal e comprei em uma feirinha no Burburinho Festival de Artes.  É um copinho anatômico e feito de silicone e que inibe a entrada de bactérias. No entanto, ele é considerado polêmico, pelo fato de parecer, inicialmente, desconfortável.  Mas, ele não é, principalmente quando finalmente colocar da forma correta.

Venha se juntar ao #teamcopinho.

Alguns me chamaram de louca por comprar o produto, as frases que mais escutava:

– Você vai colocar este copo em você ?

– Isto parece nojento !

– É mais uma invenção sua.

– Se vazar ?

No entanto, era a minha única esperança de acabar com minhas assaduras e alergias aos absorventes.

Ele existe desde a década de 30. Uma das vantagens é que ele é ajustável ao corpo. Diferente do absorvente interno, que é inserido ao fundo do canal vaginal, o coletor fica na entrada da vagina.  Ele é fácil de usar, não deixa nenhum cheiro de menstruação pelo ar e só precisa ser trocado após 8 horas e dependendo do ciclo pode ficar com ele até 12 horas (raramente você vai o trocar em banheiro de shopping ou outros espaços públicos e não terá problemas em dormir com ele). Aí, você despeja o sangue na pia ou vaso sanitário.

Não existem contra-indicações, mas não é aconselhável para mulheres que nunca tiveram relações sexuais.

Aprendi que com o coletor, que o sangue de menstruação não é essa hemorragia que os absorventes mostram. Para colocar o seu coletor menstrual, basta introduzi-lo ainda fechado em forma de ‘C’ na parte inferior da vagina e roda-lo para se certificar que ficou bem encaixado, porque vai incomodar se não for colocado da forma correta.

Precisa esterilizar antes e depois do ciclo menstrual, importante, pois é um objeto de plástico e muitas vezes as mulheres o armazenam em lugares que ocorrem muita proliferação de bactérias e vírus.  Além disso, você vai utilizar o produto várias vezes.

Antes de utilizar, por favor, leia o manual do produto que você comprou, pois ele explica com todos os detalhes de como você deve utilizar o copinho.

Há coletores de diferentes marcas e tamanhos, principalmente para aquelas que já tiveram filhos. É confortável porque ele se ajusta bem ao corpo feminino de tal maneira que a gente até esquece que está menstruada.

Após colocar de forma correta, que demorou alguns dias para mim, a sensação de usar o copo é a mesma de utilizar um absorvente interno, sendo que sem destruir o meio ambiente ou ter crises alérgicas por conta do produto. Na primeira vez que utilizei, com medo de vazar, utilizava junto com um protetor de calcinha, uma dica para as mulheres que ficam inseguras com o produto.

Para retirar é só abrir as pernas e puxar a haste que fica no copinho.

Durante a vida, uma mulher usa, em média, mais de 10 mil absorventes, seja ele externo ou interno. O externo leva 100 anos para se degradar na natureza, enquanto o interno leva até um ano. O coletor menstrual é ecologicamente correto.

De acordo com o Correio Brasiliense, por ano, a mulher gasta cerca de R$ 100 com absorvente externo. Em 10 anos, ela terá gasto R$ 1 mil. Então a economia é no mínimo de R$ 915. O coletor menstrual tem durabilidade de cinco anos e custa, em média, uns R$ 90. Mesmo que o preço seja um pouco salgado, o custo-benefício é muito bom mesmo.

Algumas ginecologistas apontam que ele é anti-higiênico, mas nos manuais do uso do coletor indicam que a cada troca da retirada do sangue, você deve higienizar o copo, principalmente com um sabão de PH neutro.

E, aí, vai de copinho?


Sobre Lara Paiva
Oi, eu sou o Goku. Mentira, meu nome é Lara. Sou jornalista formada pela UFRN, natural de Natal. Sempre fui de humanas. Tem um blog para expor as suas curiosidades e anseios desta vida e mostrar os diferentes lados da vida urbana.

Comentários no Facebook

Seja o primeiro a comentar

Deixe uma resposta

Breche Também

error: Content is protected !!