Demorou, mas chegou. Experimentei Pokémon Go!

Compartilhe:

Atenção!

Ao jogar pokémon go, cuidado ao atravessar a rua para não ser atropelado, evite dirigir utilizando o aplicativo e tenha cuidado com a equipe rocket para não ficar sem celular.

Finalmente, a Nintendo lançou o jogo mais esperado pelos brasileiros: Pokémon Go. Como funciona? Primeiro passo: baixe na loja do Android ou iOS. Depois, criar uma conta no aplicativo, mas você também pode acessar usando o seu Gmail.

Então, você cria um avatar e o  meu ficou assim:

image

Para quem não sabe, este é um jogo de realidade aumentada para celulares e utiliza GPS e câmera dos dispositivos compatíveis. Se assistiu Pokémon, sabe como é a vida de um treinador, tem que percorrer por vários lugares, ir a ginásios, além de capturar e cuidar bem dos seus Pokémons. Também permite você batalhar com outros usuários.

Os bichinhos aparecem nas telas de dispositivos como se fossem no mundo real, fazendo com que o jogo fique realmente divertido. O jogo utiliza uma mecânica semelhante ao do Ingress, também desenvolvido pela Niantic Inc. (parceira da Nintendo nessa empreitada), que utiliza o GPS do smartphone para localizar a posição do jogador, a qual consequentemente será a posição de seu personagem no mundo virtual.

image

Conforme o jogador anda em sua cidade, vários pokémon selvagens podem aparecer no mapa, dependendo do tipo de região em que se encontra. Com isso, ao estar próximo a uma praia ou rio, por exemplo, será mais fácil encontrar Pokémon do tipo água. Ao encontrar um Pokémon, entra-se no modo de captura no qual é necessário mirar precisamente o Pokémon e arremessar a Pokébola.

Cuidado, que cada jogador tem um limite de arremessar pokébola. Então, precisa ter uma mira boa.

Neste modo, o jogador pode optar por capturar num cenário virtual semelhante aos jogos tradicionais de Pokémon ou ativar o modo câmera, que substitui o cenário 3D do jogo pelo cenário do mundo real, ou seja, o lugar exato quê o usuário está, mostrando o Pokémon na sua frente, através do seu celular. Podendo tirar fotografias.

“Pokémon GO” pode parecer intimidador em um primeiro momento, mas é facílimo de manusear. Os aspirantes a treinadores podem escolher entre um Bulbasaur, um Charmander, Pikachu e um Squirtle como companheiro inicial de aventura.

Eu, por exemplo, capturei um Squirtle:

image

A partir daí, o game se desenvolve na medida em que o jogador caminha pelo mundo real e interage com a versão virtual dele que existe dentro do celular. Pontos importantes de sua cidade como estátuas e museus se tornam Ginásios; lojas, áreas turísticas e pontos de ônibus viram pokéstop (ícones azuis no game), onde é possível coletar itens (pokébolas, ovo e dentre outras coisas); e Pokémon vagam por todos os lados, esperando para serem capturados.

Ovo? Sim, você está lendo certo. Uma visitinha a um PokéStop pode render ovos Pokémon. Após um período de incubação, os ovos chocam e dão vida a um novo Pokémon. Todo treinador começa com uma única incubadora com uma quantidade ilimitada de usos, mas pode também comprar ou receber como prêmio incubadoras que chocam três ovos antes de quebrar.

A cada cinco minutos, jogadores de “Pokémon GO” conseguem interagir com os PokéStops – que podem ser, no mundo real, qualquer coisa desde um ponto de ônibus até um shopping center. Um muro grafitado também pode ser uma PokéStops.

image

Portanto, não adianta ficar em casa esperando. O jogo força a você andar pelas ruas. Ótima maneira para sair de casa e exercitar. Treinadores começam com apenas um Pokémon, mas com esforço, podem criar um time de monstrinhos ou capturar todos os tipos de Pokémon. A escolha é sua! Após capturar, você pode armazenar ou transferir ao professor. Cada um tem o seu próprio limite, ok?

Veja o que capturei até o momento (Teve amigo meu que já caçou 66 pokémons em único dia):

Para ser o melhor dos treinadores, não basta capturar Pokémon. É preciso também treiná-los para que eles evoluam e fiquem mais poderosos. Em “Pokémon GO”, um atributo chamado CP (ou ‘combat power’) serve como métrica para determinar a força de um monstrinho. Quanto mais CPs, mais forte um Pokémon é.

Antes que esqueça, ainda tem os times. Ao atingir o nível 5, treinadores devem escolher um dentre três times para representar nas batalhas de Ginásio: Instinto, Místico ou Valor. Não é possível voltar atrás na escolha. Vestindo a camisa de um dos times, os jogadores passam a conquistar territórios para a equipe escolhida. A escolha não tem grande impacto no curso do jogo. Mas vale destacar que os pássaros lendários são símbolos de cada um dos times.

A partir do nível 5, treinadores têm como missão defender os Ginásios de seu time. Pokémon “depositados” em um Ginásio aliado lutam automaticamente em defesa do ponto, além de coletarem recompensas para seu treinador. Um treinador que consegue defender os 10 Ginásios nos quais ele tem Pokémon depositados pega, diariamente, 500 Stardust e 100 Coins – moedas importantes que podem ser trocadas por itens valiosos. Além disso, pode brigar por ginásios dos inimigos.

Mas, afinal, o que achei do jogo? É divertido e uma ótima forma de compartilhar entre amigos, mesmo que esteja morando em dois bairros de distância. Vale a pena baixar. Se em Natal a moda está pegando? O Brechando foi para um dos Pokéstops e viu que tem muita gente jogando. Inclusive, alguns chegaram a parar seus carros para jogar.

image
Momento Paparazzi

Duas caçadas Pokémon em Natal está marcada para o mês de agosto 

Mal chegou no Brasil e os natalenses marcaram dois encontros no Parque das Dunas para caçar os monstrengos. O primeiro está marcado neste domingo (8), a partir das 13 horas, organizado por aqueles que estavam marcando o protesto conta demora do lançamento nas terras tupiniquins. O outro está marcado para o dia 27 de agosto e mais detalhes pode ser conferido neste link.


Sobre Lara Paiva
Oi, eu sou o Goku. Mentira, meu nome é Lara. Sou jornalista formada pela UFRN, natural de Natal. Sempre fui de humanas. Tem um blog para expor as suas curiosidades e anseios desta vida e mostrar os diferentes lados da vida urbana.

Comentários no Facebook

Seja o primeiro a comentar

Deixe uma resposta

Breche Também

error: Content is protected !!