Fóssil foi encontrado no município do Rio Grande do Norte

Compartilhe:

A gente sabe que tem vários sítios arqueológicos espalhados pelo Rio Grande do Norte, conforme falamos nesta matéria aqui. Entretanto, o lado pré-histórico do RN ainda tem muito a revelar, visto que fóssil de mastodonte foi encontrado no município de Florânia. É o primeiro fóssil do animal encontrado no município. O que você faria se encontrasse um?

A equipe do Museu Câmara Cascudo (MCC) foi ao local, na última sexta-feira (12), para o reconhecimento e já coletou fragmentos da defesa (presa de marfim) e da mandíbula com os dentes molares do animal, transportados a Natal para limpeza e estudos complementares.

Para quem não sabe, o mastodonte se assemelha ao elefante atual e viveu há cerca de 10 mil anos nas Américas do Norte e do Sul. Fósseis da espécie já foram encontrados em quase todos os estados brasileiros, exceto no Tocantins.

As principais diferenças entre o mamute e o mastodonte são o período em que eles viveram e certas particularidades quanto aos dentes. Até hoje os cientistas ainda não chegaram a um consenso sobre as causas da extinção desses animais, mas alguns defendem que a caçada de filhotes pelo homem possa ter contribuído para o desaparecimento deles. Ambos são classificados dentro da ordem dos proboscídeos, que já teve cerca de 350 espécies, todas extintas, com exceção do elefante asiático (Elephas maximus) e do africano (Loxodonta africana), que surgiram há cerca de 10 mil anos.

A descoberta se deu graças ao adolescente Edivan Gaudino Neto e sua irmã Ana Karollina Santos Silva, de 16 e 12 anos, respectivamente, que encontraram os vestígios no leito de um rio e avisaram ao pai Edmilson Galdino, vaqueiro da fazenda.

O dono da propriedade acionou o arqueólogo Astrogildo Cruz, o qual realizou a primeira análise juntamente com o também arqueólogo e professor de Geologia da Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN), Orlando Figueredo.

Ao identificar o potencial dos vestígios, os profissionais entraram em contato com a paleontóloga e diretora do MCC, Maria de Fátima Ferreira dos Santos, que organizou a expedição para Florânia e confirmou a existência do fóssil.


Sobre Lara Paiva
Oi, eu sou o Goku. Mentira, meu nome é Lara. Sou jornalista formada pela UFRN, natural de Natal. Sempre fui de humanas. Tem um blog para expor as suas curiosidades e anseios desta vida e mostrar os diferentes lados da vida urbana.

Comentários no Facebook

Seja o primeiro a comentar

Deixe uma resposta

Breche Também

error: Content is protected !!