Pium exibe doc sobre a relação de adulto com lúdico

Compartilhe:

Que tal ver filminho em um lugar diferente? O bairro de Pium, que fica na cidade Parnamirim. Esta é a proposta do evento que vai exibir o documentário, na próxima sexta-feira (20), às 19 horas, “Tarja Branca – A Revolução que Faltava” (2013), no restaurante Govinda, especializado em comida vegetariana e indiana.

Dirigido por Cacau Rhoden, o filme traz uma nova visão da arte de brincar do ser humano, convidando-o para refletir sobre como despertar a criança que existe em si. Por meio de depoimentos de pessoas de várias gerações, origens e carreiras diferentes, o documentário discute as variadas formas de brincadeira, atitude primordial da natureza humana e essencial para a construção do comportamento do homem, mesmo diante da agitação e frieza dos tempos modernos.

Nascido em Curitiba em 1974, Rhoden decidiu cedo trabalhar no audiovisual. conseguiu estágio em uma produtora por indicação de uma amiga mais velha. Começou varrendo o set e servindo café mas virou Diretor de Produção aos 21 anos. A produtora, SIR, era uma das maiores do Brasil à época e, como suas concorrentes, era mais dedicada à produção de filmes publicitários e institucionais, já que a produção cinematográfica nacional era insipiente.

Em 2003, ele produziu “Infinitamente Maio”, um curta que mostra a história de Raul chega em casa e encontra sua mulher fazendo sexo com outro. Em 2005 dirigiu “Meninos de Areia”, uma alegoria sobre duas crianças que têm um relacionamento ambíguo num universo absurdo de sonhos e pesadelos.

A criação do documentário Tarja Branca veio convite da produtora Maria Farinha, que também ajudou na elaboração de “Muito Além do Peso”.

O documentário intercala depoimentos de diferentes especialistas que refletem a relação do homem contemporâneo com o seu espírito lúdico e fala sobre a importância do brincar no desenvolvimento da criança. O conteúdo acaba por gerar um debate com reflexões sobre a criança que existe em cada um de nós e apresenta o “brincar” como um dos atos mais ancestrais desenvolvidos pelo homem para se conhecer melhor e relacionar com o mundo.

As brincadeiras infantis fazem parte de nossa formação social, intelectual e afetiva. Por elas nos socializamos, nos definimos e introjetamos muitos dos hábitos culturais da vida adulta. Todos brincamos na infância e no brincar fomos livres e felizes. Mas será que ainda carregamos essa subjetividade brincante e cultura lúdica vivas dentro de nós? Será que a criança que fomos se orgulharia do adulto em que se transformou?

Tarja Branca é um manifesto a importância de continuar sustentando um espírito lúdico, que surge em nossa infância e que o sistema nos impele a abandonar em nossa vida adulta. A intenção é questionar: Por que, nós adultos, temos vergonha de brincar?

O doc tem como elenco Antônio Carlos Nóbrega, Domingos Montagner, José Simão, Wandi Doratiotto e Bráulio Tavares. O projeto é interessante não só pelo resultado final, que mereceu até prêmio internacional, mas o processo de criação também se destaca. Rhoden conta que o filme começou pequeno e foi ganhando tamanho ao longo da sua pesquisa de preparação.

A ideia de exibição vem do Cine Mambembe da Tropa Trupe, em parceria com o coletivo Educadores de Pium.

Cartaz do filme pode ser conferido a seguir:

13262180_790772771024059_286080868_o

Serviço
Exibição gratuita do filme: Tarja Branca
Data: Sexta, 20/05/2016
Hora: 19:00
Capacidade: 70 lugares
Classificação: Livre
Local: Restaurante Govinda, Rua Edgard Medeiros n05, Pium, Natal, Rio Grande do Norte


Sobre Lara Paiva
Oi, eu sou o Goku. Mentira, meu nome é Lara. Sou jornalista formada pela UFRN, natural de Natal. Sempre fui de humanas. Tem um blog para expor as suas curiosidades e anseios desta vida e mostrar os diferentes lados da vida urbana.

Comentários no Facebook

Seja o primeiro a comentar

Deixe uma resposta

Breche Também

error: Content is protected !!