Natalenses comentam o aumento da passagem de ônibus

Compartilhe:
Segunda-feira houve um protesto contra o aumento da passagem (Fotos: Lara Paiva)
Segunda-feira houve um protesto contra o aumento da passagem (Fotos: Lara Paiva)

Fevereiro começou com a notícia de que a Prefeitura do Natal aumentou a passagem de ônibus de R$ 2,65 para R$ 2,90, após uma reunião com o Comitê de Mobilidade Urbana realizada na última quinta (28). Algumas pessoas, chateadas obviamente com a situação, se reuniram em um ato nesta segunda-feira (1) para impedir o aumento e mostrar que estão insatisfeitos com o sistema de transporte público oferecido para uma cidade com quase um milhão de habitantes.

Brechando acompanhou o protesto e entrevistou manifestantes e pessoas que estavam circulando nas redondezas. Nós realizamos a seguinte pergunta: O aumento da passagem é equivalente ao transporte público? Por quê?

Independente se você é contra ou a favor da manifestação, uma coisa é certa: as pessoas estão insatisfeitas com a relação inversamente proporcional de qualidade e preço oferecido pelas empresas.

O estudante de jornalismo, Abner Moabe, mora em Felipe Camarão e critica a falta de melhorias.  “O aumento já é injusto. Natal é uma cidade pequena, os ônibus não atendem à população. Toda vida que a gente sabe de um aumento, o pessoal sempre diz: ‘Vai ter melhorias no transporte’. Isto nunca aconteceu. Por que primeiro aumenta e não melhora? Deveria ser o contrário” .

Rudson Nascimento também é estudante e para angariar as suas contas trabalha em um supermercado em Neópolis. Todos os dias viaja da zona Norte para a zona Sul, pegando dois a três ônibus para ir e voltar. Ou seja, paga até seis vezes para andar pela cidade.  É um dos revoltados com a tarifa reajustada. “A gente depende do transporte público e o aumento é prejudicial. Eu gasto mais de 100 reais de ônibus por mês, pois moro na zona Norte e meu trabalho fica em Neópolis. Tenho que pegar dois a três ônibus por dia. O aumento da passagem vai pesar bastante no meu bolso”, lamentou.

Alguns chegam a pegar dois a três ônibus por dia. Agora a passagem custa quase três reais
Alguns chegam a pegar dois a três ônibus por dia. Agora a passagem custa quase três reais

Já Marcela Marques lembrou que o aumento não deveria acontecer, uma vez que não foi finalizado o projeto de licitação dos ônibus.  “Aumento da passagem não é legal devido ao projeto de licitação dos transportes públicos não ter sido efetivado. Nesta lei aponta que só haveria reajuste se este projeto fosse aprovado e implementado. Isto não ocorreu e muito menos houve melhoria no transporte público. As paradas e as frotas de ônibus são sucateadas e antigas, sem nenhum tipo de conforto para população, muito menos acessibilidade. Considerando o tamanho da cidade, não justifica o aumento da passagem para quase três reais.”,  argumento.

Sua amiga, a jovem Aretha Melo, complementou a fala e criticou a atitude dos empresários.  “Mesmo esse processo de licitação, as empresas estão ignorando o projeto e a passagem foi aumentada em menos de seis meses. A gente sabe que estes reajustes são arbitrários e é reflexo do sistema que está sucateado, com linhas reduzidas, falta de paradas, sem acessibilidade…Tem trabalhador que demora três horas para chegar em seu destino”, disse Aretha Melo.

Marquidones Silva é a favor da diminuição do preço da passagem
Marquidones Silva é a favor da diminuição do preço da passagem

O estudante Marquidones Silva, por sua vez, é a favor que a passagem tenha um custo menor ou seja de graça. “É um direito nosso de transitar dentro da cidade e deveria ser gratuito. Infelizmente o transporte público é mantido pelos empresários. A população paga por um transporte caro e que não condiz com as necessidades existentes de Natal. Muitos vão pagar 20% de seu salário apenas com ônibus”.

Durante o anúncio do aumento de passagem, a Secretaria Municipal de Mobilidade Urbana (STTU) disse que as frotas deveriam ter algumas melhorias, como a instalação de rede wi-fi em 5% da frota, a restauração de 56 abrigos em bairros da Zona Leste da capital, a renovação de 70 ônibus, a criação de um aplicativo sobre o transporte público (atualmente, a consulta dos ônibus pode ser feita pelo Google Maps) e a mudança de itinerário de algumas linhas de ônibus da cidade.

“Se for trazer melhoria para o ônibus, beleza. Se continuar do jeito que está não é justo, pois todo ano existe um aumento e não consigo ver alguma melhoria”, disse a universitária Darlene Alves, que mora no conjunto Cidade Satélite, no bairro de Pitimbu.

O comerciante Alexandre Penha, apesar de utilizar carro, reconhece as dificuldades de quem pega ônibus diariamente.  “O salário mal subiu e já elevou os preços de tudo. Então, não adianta ter feito isso, pois ficou pior que estava. Não temos opção de ônibus e muito menos comprar carro, pois a gasolina está mais cara”,  avaliou.

O protesto aconteceu entre o final da tarde e início da noite desta segunda-feira, inicialmente houve uma plenária para decidir o que aconteceria. O ato terminou com uma caminhada na BR-101.

Confira as fotos a seguir:


Sobre Lara Paiva

Oi, eu sou o Goku. Mentira, meu nome é Lara. Sou jornalista formada pela UFRN, natural de Natal. Sempre fui de humanas. Tem um blog para expor as suas curiosidades e anseios desta vida e mostrar os diferentes lados da vida urbana.

Comentários no Facebook

Seja o primeiro a comentar

Deixe uma resposta

Breche Também

error: Content is protected !!