Vendo o nascer do sol e isso causou uma reflexão

Compartilhe:

Após uma badalada festa de ano novo, um grupo de amigos começaram a discutir os planos do que fazer para 2016, no qual alguns comentaram que o ano anterior foi horrível e que várias tretas apareceram na vida. No meu caso, apesar de ter tido algumas mudanças que tiveram que repensar na minha vida, o ano de 2015 de todo modo não foi tão ruim. A única coisa que desejei para 2016 é que eu tenha amor pelas coisas que planejo e fazer coisas cada vez mais diferentes na minha vida.

Cheguei em casa, após o papo, e tive a brilhante ideia de ficar no jardim e ficar esperando o sol nascer, queria ver o primeiro sol do novo ano que surgiria. Além disso, eu resolvi fotografar cada momento disso.

Então, fiquei sentada no meio do gramado e comecei a observar as mudanças naquele céu escuro, cheio de estrelas e com a lua na fase crescente (me corrijam se estiver errada). Eram quatro horas da manhã, quando resolvi fazer isso e o céu ainda estava completamente escuro.

Depois de uns 10 minutos, comecei a ver uma cor púrpura se misturando naquela escuridão. Pensava que a mudança iria demorar para acontecer, mas o roxo no céu começou a crescer e aos poucos se transformando em azul. Então, a claridade começava a surgir. Uns 25 minutos depois, o céu estava ficando azul e conseguia ver as nuvens já brancas.

Finalmente, eu consegui olhar para os primeiros raios solares e como estava tão bonito. A vontade era ir para praia, mas isto não aconteceu. Depois, sai do gramado e fui fotografar o nascer do sol em outras partes da casa, inclusive na janela do meu quarto. Depois, eu fui para cama e comecei a refletir.

Isso lembrou o que aconteceu em 2015, período de bastantes mudanças. Era uma pessoa que gostava de planejar tudo e que de repente viu que as coisas não são do jeito que desejam. No segundo semestre, eu criei meu próprio trabalho, fiz o meu blog, comecei a praticar coisas que não fazia antes e comecei a cuidar de mim. Antes, eu era uma pessoa que procurava ser resultado para os outros e hoje não sou mais assim. Isso não quer dizer que estou sendo egoísta, vale salientar.

Há dois dias antes do 31 de dezembro fiquei conversando com minha amiga Bárbara, cuja intenção era coletar depoimentos sobre o que aprendi em 2015. Uma coisa que reparamos era que nós duas vimos que tínhamos em comum era que aprendemos a experimentar coisas novas. Ela começou a praticar esportes, visitou congressos, fez tatuagem, organizou eventos, corrigiu a miopia e foi um momento de reencontros e aproximações.

No meu caso, eu também fiz uma tatuagem, aprendi a andar novamente de patins, comecei a aprender uma língua nova, assisti mais seriados, aprendi a criar os meus próprios trabalhos, entrei numa pós-graduação, reaproximei de pessoas, cortei contatos de pessoas que faziam mal para o coração e dentre outras coisas.

Assim como o dia não se preocupa com outros fatores para aparecer, você tem que fazer isso com a vida. Feliz 2016 e avante!

Confira as fotos completas a seguir:

Este slideshow necessita de JavaScript.

 


Sobre Lara Paiva

Oi, eu sou o Goku. Mentira, meu nome é Lara. Sou jornalista formada pela UFRN, natural de Natal. Sempre fui de humanas. Tem um blog para expor as suas curiosidades e anseios desta vida e mostrar os diferentes lados da vida urbana.

Comentários no Facebook

Seja o primeiro a comentar

Deixe uma resposta

Breche Também

error: Content is protected !!