Sim, a cidade está quente feito um inferno

Compartilhe:

Muita gente vai se sensibilizar com este texto e comentar as consequências que o forte calor está fazendo na vida da pessoa. Claro que nós sabemos que estamos passando pelo período do verão, onde é mais quente e calorento. O que nós não sabíamos é que o calor e a quentura iriam nos deixar sentindo tontura ou dor de cabeça.

O meu celular aponta, neste momento, que a cidade está com uma temperatura de 27º C e que os ventos estão circulando numa velocidade de oito quilômetros por hora.

Sim, Natal está muito quente e estou usando bastante regata ou vestido para suportar o calor na cidade. Na semana passada, eu tive que sair para sacar dinheiro no banco. No caminho para casa, eu  comecei a ficar tonta e com bastante sede.

Mesmo na chuva sofro de calor, pois quando acabam as precipitações começa a ficar bastante quente e parece que estou trancada numa sauna. Até mesmo quando chove, eu não sinto mais aquele vento frio que acontece normalmente.

Só bebendo dois copinhos d’água, eu fiquei melhor. Sim, Natal está quente feito um inferno e por isso aumentou as minhas frequências de ir à praia, pois o local é ventilado, posso me refrescar com a água ou beber água gelada na frente da orla. A única parte ruim é pagar por dois reais para tomar banho de chuveiro e tirar aquela inconveniente areia.

Isso porque os noticiários dizem que o ano de 2015 foi o ano mais quente da história, de acordo com a agência especial da Nasa. Foi a temperatura mais alta registrada desde de 1880.

Essas medições são feitas nas universidades do Japão e dos Estados Unidos. As instituições de ensino também culpam a intensificação do El Niño, que é o aquecimento das águas do pacíficos, fazendo com que a gente sofra com este calor.

Não seria surpresa se no ano que vem aparecer uma notícia como: “2016 foi o ano mais quente de toda a história e que a temperatura média foi de 1,5ºC”.

Ainda querem dizer que o aquecimento global é coisa inventada pelo governo dos Estados Unidos. Enquanto estou digitando, eu estou bebendo meu terceiro copo de água por conta do calor. Eu tenho rinite alérgica e, mesmo doente e com o nariz super entupido, eu prefiro dormir com ventilador ou ar-condicionado para não ter contato com aqueles mosquitos chatos que ficam picando no meu pé, mesmo passando um pote inteiro de repelente.

Por falar em mosquito, não seria surpresa se aumentar os casos de doenças, como dengue ou zika, pois esses mosquitos adoram um calor para se perpetuar na vida da gente.

No ano passado estávamos sentido isso. Nas ruas, a sensação térmica experimentada pelo natalense chegou à casa dos 39 graus, durante os dias mais quentes. A mudança abrupta ocorreu devido a fatores repentinos, mas os especialistas confirmam que a temperatura média da Grande Natal está mais quente e a tendência é piorar.

Em meio século, entre 1960 e 2010, os termômetros registraram um aumento de 1,5 grau nas médias anuais da região metropolitana. Olhando o site da Emparn, a nossa sensação térmica é de quase 40º C, fazendo a vontade de habitar numa geladeira para nunca mais voltar.

Além do aquecimento global, houve um aumento na verticalização de prédios e da população, fazendo com que a cidade seja mais quente.

Você está sentindo Natal mais quente?


Sobre Lara Paiva
Oi, eu sou o Goku. Mentira, meu nome é Lara. Sou jornalista formada pela UFRN, natural de Natal. Sempre fui de humanas. Tem um blog para expor as suas curiosidades e anseios desta vida e mostrar os diferentes lados da vida urbana.

Comentários no Facebook

Seja o primeiro a comentar

Deixe uma resposta

Breche Também

error: Content is protected !!