Como saber o que está consumido na água? Olhe a conta

Compartilhe:

Neste ano, a Vigilância Ambiental detectou a ausência de cloro na água em alguns bairros de Natal. Este é um dos elementos que ajuda o líquido a ser próprio para uso. Durante o ano, foram feitas 742 análises por técnicos da Vigilância Ambiental, nas quais foram constatadas que 154 apresentaram irregularidades. Os resultados foram feitos com a ajuda do Laboratório Central de Saúde Pública (LACEN/RN).

Como saber que a água está consumido é de boa qualidade? Na parte final da conta de água, a Companhia de Águas e Esgotos do Rio Grande do Norte (Caern) divulga esta informação.

image

A impressão desta conta de água não está boa, mas eu irei traduzir. Consegui de um colaborador que mora em Lagoa Nova, zona Sul da capital potiguar, e garantiremos o seu anonimato.

O final de cada carta mostra o monitoramento mensal da qualidade da água distribuída. A Caern dividiu em cinco categorias: turbidez, PH (calcula o nível de acidez), coliformes totais, cloro residual livre e nitrato. Além disso, mostra os valores recomendados para que o recurso hídrico seja de qualidade.

A turbidez, por exemplo, ideal tem que ser menor que 5 uT. Nesta conta, por exemplo, está 0,38. O PH ideal é entre 6 a 9,5, mas nesta conta está 5,38. Ou seja, a água está muito ácida e fora do ideal.

Agora vamos para parte de coliformes totais. Muitos sabem que a água de Natal tem bastante nitrato e coliformes fecais, algo que foi noticiado várias vezes na imprensa local. Mas, qual é a diferença de coliformes fecais e totais? Nós vamos explicar a seguir.

São bactérias utilizadas em larga escala nas medições microbiológicas que testam a qualidade da água e de alimentos para que as pessoas os consumam sem riscos maiores. Então, considerando a relação diretamente proporcional, quanto maior o índice de presença de coliformes, mais a água está imprópria para consumo.

Existem dois tipos de coliformes: totais e fecais. Os coliformes totais compõem os grupos de bactérias gram-negativas que podem ser aeróbicas ou anaeróbicas (isto dependerá do ambiente e da bactéria), não originam esporos e fermentam a lactose, produzindo ácido e gás à 35 a 37°C.

Já os coliformes fecais são também conhecidos como “termotolerantes” por suportarem uma temperatura superior à 40°C, convivem em simbiose com humanos, bois, gatos, porcos e outros animais de sangue quente. São excretados em grande quantidade nas fezes e muitas vezes despejados na água devido à falta de tratamento adequado ao esgoto. Ao consumir a água nesta situação pode causar doenças como a diarreia.

Voltando para os coliformes totais, a água aponta uma ausência de 97,62%. Já a quantidade de cloro ideal é entre 0,2 a 2 miligramas por litro. Esta conta mostra que só existe 0,98 mg/L de cloro residual livre no produto consumido nesta casa. Por fim, a quantidade de nitrato, que aponta a presença de 8,10 mg/L, que está adequado as normas.

E aí, já analisou sua conta de água hoje?


Sobre Lara Paiva

Oi, eu sou o Goku. Mentira, meu nome é Lara. Sou jornalista formada pela UFRN, natural de Natal. Sempre fui de humanas. Tem um blog para expor as suas curiosidades e anseios desta vida e mostrar os diferentes lados da vida urbana.

Comentários no Facebook

Seja o primeiro a comentar

Deixe uma resposta

Breche Também

error: Content is protected !!