Professor da UFRN faz pesquisa com músicas do Iron Maiden

Compartilhe:

O professor do curso de Ciência & Tecnologia da Universidade Federal do Rio Grande do Norte (C&T/UFRN), Lauro Meller, realizou uma pesquisa utilizando as músicas da banda inglesa Iron Maiden com os acontecimentos históricos, algo que já era comentando entre jornalistas e fãs dos ingleses. O resultado de Meller foi publicado em dois artigos chamados “Temas Históricos em Canções do Iron Maiden”.

É algo que me deixa feliz e não era sou eu que pensava nessas coisas, pois quando tinha 17 anos e estudava o bombardeio da Força Aérea Alemã na Inglaterra (minha matéria favorita na escola era história), sempre escutava ao som de “Aces High”, que retratava uma das batalhas mais marcantes da Segunda Guerra.

O nome “Iron Maiden” já é histórico, pois a “Donzela de Ferro” era um instrumento de tortura na época medieval, mais precisamente durante a inquisição. O instrumento traz uma imagem de uma senhora representando à Virgem Maria e possui dobradiças e abre como um ataúde. O torturado tinha que entrar dentro da donzela e era perfurado com cravos de ferro que não atingiam órgãos vitais. Este perderia sangue ou mesmo agonizaria por asfixia.

A ideia de Lauro surgiu após ouvir o álbum “The Book of Souls”, o mais recente álbum do grupo, uma das faixas se chama “Empire of the Clouds”, que narra o acidente com o dirigível britânico R101, que caiu na França em sua viagem inaugural, em outubro de 1930. Com 18 minutos, é a canção mais longa de toda a discografia do Iron Maiden, grupo com quase 40 anos de estrada.

O professor traça uma linha cronológica da Pré-História à Segunda Guerra Mundial com a análise minuciosa de sete músicas do grupo. Meller atualmente coordena o Grupo de Estudos Interdisciplinares em Música Popular. “O Maiden presta uma grande contribuição ao despertar a curiosidade do seu público, principalmente o mais jovem: as canções se tornam portas de entrada para outros conhecimentos”, afirma o paraibano em entrevista para a BBC.

A análise observa as letras, linhas melódicas, arranjos, registros vocais, riffs e solos de guitarra – e como estes ingredientes musicais potencializam a mensagem de cada canção.

Na mesma entrevista, ele disse que é possível estabelecer as canções do Iron Maiden com o heavy metal e música erudita, principalmente a do século XIX, como a Sinfonia 1812, escrita por Tchaikovsky em 1880, que retrata batalha travada entre França e Rússia, e ainda composições de Richard Wagner.

Em 2016, na produção de um livro que incluirá análises desta e de outras músicas, além das sete que integram os artigos já produzidos e divulgados na íntegra na publicação técnica Revista Brasileira de Estudos da Canção. O título será “Temas Históricos e Literários nas Canções do Iron Maiden”.

Ainda comentou que a canção propositalmente faz com que o ouvinte sinta a história. “São episódios são contados em terceira pessoa. Outros, na “voz” de anônimos, o que “contribui para maior dramaticidade e faz o ouvinte sentir-se ‘na pele’ do personagem”, observa o professor na mesma entrevista.


Sobre Lara Paiva

Oi, eu sou o Goku. Mentira, meu nome é Lara. Sou jornalista formada pela UFRN, natural de Natal. Sempre fui de humanas. Tem um blog para expor as suas curiosidades e anseios desta vida e mostrar os diferentes lados da vida urbana.

Comentários no Facebook

Seja o primeiro a comentar

Deixe uma resposta

Breche Também

error: Content is protected !!