O descaso com o prédio do Diário de Natal

Foto: José Aldenir/Jornal de Hoje
Compartilhe:

Na foto de José Aldenir para O Jornal de Hoje mostra um prédio abandonado. Pela cor dos ladrilhos, vermelho e azul, percebe-se que este prédio pertenceu ao extinto Diário de Natal, um dos mais tradicionais periódicos que o Rio Grande do Norte já teve, de propriedade do Diário Associados, e fechou em outubro do ano de 2012.  O prédio, localizado no final da Avenida Deodoro da Fonseca, está completamente abandonado.

Os registros do Google Maps desde 2011 mostram o desgaste que o prédio vem sofrendo ao longo dos tempos. Conforme estas imagens a seguir:

Este slideshow necessita de JavaScript.

Começou a ficar assim após a reforma do jornal em 2009, quando houve demissões de alguns jornalistas e a publicação sofreu com algumas modificações, como a transformação do formato standart para tabloide.

Em 2010, este prédio foi vendido e mudou a sua sede para o bairro de Igapó, logo após a ponte de mesmo nome, na zona Norte da capital potiguar. O jornal começou a ser impresso na sede do Diário de Pernambuco (que também pertence ao Diários Associados), em Recife.

Os vizinhos do prédio tiveram que colocar blocos de tijolos nas principais entradas, pois o local estava sendo usado para abrigar usuários de drogas. O terreno totalmente deteriorado e tomado pelo mato. O problema fez com que os moradores ficassem sentem inseguros, visto que o local se tornou um local para consumo e venda de drogas.

Os moradores já tiveram que se juntar para fechar algumas partes do prédio para que os usuários usavam para entrar no terreno. Mas, eles continuaram visitando o terreno e pulavam o muro para entrar.

Além disso, outra questão é a incidência de mosquitos, uma vez que o terreno acumula muito lixo. Já foram registrados casos de dengue na rua por causa da água da chuva que fica acumulada nos recipientes jogados lá dentro.

O abandono do prédio do Diário de Natal já foi retratado em diversas reportagens da mídia local, como o jornalista Saulo de Castro mostrou muito bem no Portal No Ar.

O Diário de Natal foi criado em 1932. Aos domingos, ele era vendido como O Poti, que foi suspensa em 2009 e retornado em 2011.  Na década de 1970, o impresso chegou a ter um tiragem diária de 30 mil exemplares numa Natal que àquela época tinha pouco mais de 200 mil habitantes.

O Diário de Natal também se constituiu como uma escola de jornalismo do Rio Grande do Norte, dos quais os grandes profissionais passaram pelo jornal. Era o mais antigo jornal impresso em circulação na capital potiguar. No dia 2 de outubro de 2012 o grupo Associados de Pernambuco decretou seu fim, alegando que iria trabalhar apenas com o site, que fechou em janeiro do ano seguinte.


Sobre Lara Paiva

Oi, eu sou o Goku. Mentira, meu nome é Lara. Sou jornalista formada pela UFRN, natural de Natal. Sempre fui de humanas. Tem um blog para expor as suas curiosidades e anseios desta vida e mostrar os diferentes lados da vida urbana.

Comentários no Facebook

Seja o primeiro a comentar

Deixe uma resposta

Breche Também

error: Content is protected !!