Miguel Mossoró e a oficialização da política em zoeira

Compartilhe:

O ano era 2004. Wilma de Faria tinha sido eleita governadora pela primeira vez. O então vice dela, Carlos Eduardo Alves, havia assumido a Prefeitura e queria se candidatar para continuar as suas obrigações. Quem era o vice dele? Micarla de Sousa, que futuramente também seria prefeita. O concorrente? Luiz Almir, apresentador de um programa policial e fazia muito sucesso, uma vez que defende com unhas e dentes a população da zona Norte da cidade.

A gente achava que a eleição seria inusitada só a partir desses candidatos, mas ninguém sabia de que um outro fenômeno político surgiria naquela época: Miguel Mossoró. Era “nome de guerra” de Miguel Joaquim da Silva e faleceu na tarde desta terça-feira (11), aos 76 anos, após complicações de um câncer de próstata. Ficou conhecido por fazer “zoeira” com a política local e causou diversas reflexões sobre a situação da cidade.

Mossoró virou sinônimo de que a política era uma “brincadeira”, por causa de suas propostas. Quando uma pessoa apresentava uma sugestão bizarra ou algo impossível, o natalense dizia: “Nossa, isto parece uma promessa de Miguel Mossoró”.

Antigamente, o horário eleitoral gratuito era dividido entre os candidatos de Natal e de Mossoró. Então, inicialmente muita gente achava que ele estava disputando no município de Mossoró. Até aparecer os primeiros vídeos (produzidos de forma caseira) da propaganda eleitoral, no qual ele prometia “dar uma mãozada nos gringos” que assediassem as mulheres potiguares, período que o sexo turismo era bastante comum em ver nos jornais locais.

Além disso, começou a soltar diversas promessas de campanhas consideradas “peculiares”, como o teleférico da Via Costeira ao Morro do Careca, a construção de uma ponte ligando a capital potiguar ao arquipélago de Fernando de Noronha e trazer a “ilha de volta para o Rio Grande do Norte”. Miguel Mossoró conseguiu 67.065 votos pelo PTC, ficando na terceira colocação .

A partir de Miguel Mossoró, as eleições posteriores apareceram diversos candidatos do mesmo porte, como Sheik Humberto e Super Moura.

Em 2008, ele voltou a ser candidato para Prefeito de Natal, com o slogan “Agora Vai”. Mossoró continuou com as ideias inusitadas, como pagar uma viagem aos estudantes com notas boas à Flórida (Estados Unidos), mais precisamente aos parques da Disney; leite encanado, elevador de acesso da população de Brasília Teimosa para o Hospital Universitário Onofre Lopes, e escada rolante para Mãe Luíza.

Mesmo permanecendo com a zoeira, teve uma votação fraca e não chegou alcançar o mesmo sucesso. Também tentou se candidatar como deputado federal, sem sucesso. O que Miguel Mossoró deu de lição para Natal, que a política ainda é tratada como algo engraçado e banal. Até mesmo com os candidatos considerados “sérios”.

Para finalizar, deixo um vídeo da campanha dele, no qual “profetizou” como seria a gestão da prefeita Micarla de Sousa:


Sobre Lara Paiva
Oi, eu sou o Goku. Mentira, meu nome é Lara. Sou jornalista formada pela UFRN, natural de Natal. Sempre fui de humanas. Tem um blog para expor as suas curiosidades e anseios desta vida e mostrar os diferentes lados da vida urbana.

Comentários no Facebook

Breche Também

error: Content is protected !!